Qual o nível de produtividade da sua empresa?

Qual o nível de produtividade da sua empresa?

Se você tem um negócio, provavelmente você está atento ao nível de produtividade, aos resultados e à lucratividade da sua empresa. Para que tudo isso (e muito mais) seja avaliado e mensurado é necessário recorrer aos indicadores de desempenho.

O que são indicadores de desempenho?

Indicadores de desempenho (KPIs) são ferramentas que medem, de forma concreta, o desempenho de uma empresa podendo contribuir para a criação de insights, análise de resultados, planejamento de estratégias, definição de objetivos, entre outros. Ou seja, como diz Peter Drucker, professor e escritor conhecido pela sua ampla experiência em gestão, “o que pode ser medido pode ser melhorado”.

Existem vários tipos de indicadores de desempenho, e cada um deles são destinados a finalidades e circunstâncias diferentes. Além disso, os KPIs podem apresentar tanto valores  quantitativos como qualitativos, dependendo da intenção e de quais dados devem ser avaliados.

Por isso, geralmente os indicadores de desempenho podem ser divididos em dois grandes grupos:

  • Indicadores de desempenho estratégico

Eles vão analisar e avaliar as metas da sua empresa, podendo ainda, comparar com períodos anteriores e até projetar situações futuras.

  • Indicadores de desempenho de qualidade

São indicadores que analisam possíveis gaps de produtividade, fazem o diagnóstico financeiro, controlam dados de faturamento e ticket médio, analisam a produtividade, grau de satisfação, taxa de turnover, etc.

BAIXE AGORA: Ebook Métricas de Produtividade

Qual a importância dos indicadores de desempenho para sua empresa?

Os indicadores de desempenho servem para auxiliar a gestão de um negócio. Com eles você tem acesso a dados e informações relevantes para fazer uma análise mais profunda sobre a empresa, além de auxiliar na hora de definir metas concretas e planos estratégicos para alcançar tais objetivos.

Outro fator importante, é a possibilidade de identificação de pontos que podem ser melhorados para maximizar a qualidade, a produtividade e os resultados. Dessa forma, a velocidade e a assertividade na tomada de decisões são cruciais para garantir um bom resultado.

Independente de qual seja o tamanho de sua empresa, o uso de indicadores de desempenho é extremamente importante para avaliar a saúde e viabilidade do negócio. Mas não pense que para isso é necessário fazer um alto investimento para adquirir ou contratar um sistema que pode ajudar você nesse serviço.

LEIA TAMBÉM: Problemas de gestão podem trazer gaps de produtividade

Descubra o nível de produtividade com fSense

O fSense é um sistema de monitoramento que coleta informações e dados para medir o nível de produtividade, o desempenho e os resultados de cada colaborador individual e da equipe. Com essa ferramenta é possível ter acesso a informações em tempo real, através de um dashboard completo e uma timeline com histórico de atividades de cada estação de trabalho.

Dessa forma é possível visualizar e acompanhar todas as equipes, monitorar as atividades de cada colaborador, controlar acessos a sites e aplicações, identificar momentos de maior e menor produtividade, e muito mais.

E o melhor? Além de ser uma ferramenta fácil de usar, você ainda pode experimentar todas as funcionalidades do fSense por 14 dias grátis em até 10 estações de trabalho. Crie sua conta gratuitamente agora e acompanhe os indicadores de desempenho da sua equipe.

Call Center: aumente o engajamento do seu time com a gamificação | fSense

Call Center: aumente o engajamento do seu time com a gamificação

Você sabia que o trabalho em call center é um dos trabalhos mais estressantes da atualidade? Por isso, investir na gamificação pode transformar a rotina de trabalho cansativa e desgastante em algo mais lúdico e divertido, além de deixar o engajamento da equipe e a produtividade lá em cima.

Hoje, empresas de vários segmentos têm adotado práticas pautadas em jogos no ambiente de trabalho para promover a interação, manter a motivação dos times e para  alcançar melhores resultados.

E é exatamente por isso, que o setor de atendimento ao cliente também tem utilizado a gamificação como estratégia para melhorar o engajamento e a produtividade dos colaboradores.

Por que utilizar a gamificação no call center?

Incorporar jogos no ambiente de trabalho é uma excelente forma de  estabelecer bons relacionamentos, estimular o trabalho em equipe e promover a troca de experiências e ideias. Além de aumentar a produtividade, os jogos são uma maneira divertida de incentivar o trabalho em equipe e a competição saudável.

Sem contar que existem várias outras vantagens em utilizar os jogos no ambiente de trabalho. Quer ver?

  • Facilita a cultura de trabalho colaborativa e motivada;
  • Ajuda na solução ágil de problemas e na tomada de decisões;
  • Promove uma comunicação responsiva e significativa;
  • Afasta os colaboradores do trabalho habitual, ajudando-os a usar a criatividade e a pensar fora da caixa;
  • Cria uma atmosfera para aumentar a produtividade;
  • Aumenta a autoestima dos colaboradores, pois eles sentem que a empresa e os colegas estão interessados ​​em conhecê-los e desenvolvê-los;
  • Aumenta a retenção e diminui o turnover;
  • E mais uma longa lista de vantagens.

Viu como a gamificação pode aumentar a produtividade e diminuir os gaps do call center? Que tal acompanhar sua equipe, monitorar atividades e engajar seus colaboradores?

Comece hoje mesmo, conheça o fSense. Você tem 15 dias de free trial, em até 10 estações de trabalho. Fale com a gente e confira nossos planos.

Como o RH pode estimular o engajamento e a produtividade na empresa

Como o RH pode estimular o engajamento e a produtividade na empresa

Realizar ações para melhorar o engajamento e produção dos colaboradores, pode ser uma tarefa bastante difícil para um profissional de RH. Esse é um dos objetivos internos de grande parte das empresas e, ainda assim, pode ser considerado um desafio quando colocado em prática. Hoje vamos falar um pouco sobre como o RH pode fazer para estimular o engajamento e a produtividade na empresa para obter o sucesso na gestão e, consequentemente, nos resultados da empresa como um todo. Continue a leitura com a gente!

Por que o engajamento e produtividade na empresa são fatores tão importantes?

Possuir uma equipe engajada, disposta a se dedicar, se envolver e a produzir mais e melhor, contribui diretamente para o crescimento de uma empresa. Quando os colaboradores se sentem motivados, satisfeitos em suas funções e se identificam com os valores da empresa, eles irão se comprometer automaticamente e, assim, se tornarão profissionais que buscam melhorar cada vez mais.

É uma via de mão dupla em que o colaborador almeja a melhoria constante, atuando em uma empresa que oferece oportunidades e chances de crescimento.

Um colabora com o outro e ambos crescem juntos! Mas você, como responsável pelo setor de RH da sua empresa, pode estar se perguntando: como posso melhorar e estimular ainda mais esses dois aspectos e aplicar na minha equipe na prática? A gente te dá uma mãozinha com algumas dicas que podem fazer toda diferença na sua gestão. Vamos falar mais sobre elas?

LEIA TAMBÉM: Planejamento 2021: coloque a gestão de produtividade em pauta!

Alinhamento de valores: empresa x funcionário

Uma das formas de fortalecer o vínculo de um funcionário com a empresa, é estabelecendo um alinhamento de valores em comum.

Esse tipo de posicionamento não consta em um contrato oficial, porém é importante que seja desenvolvido com uma aproximação emocional do colaborador com a empresa, para que o engajamento e a produtividade possam começar a florescer no ambiente de trabalho.

Desenvolvendo esse elo é possível contar com uma postura mais dinâmica por parte do funcionário, que acaba trabalhando de forma mais proativa, otimista e desempenhando suas tarefas com excelência.

Crie espaço para as oportunidades e plano de carreira

O engajamento e a produtividade de um colaborador também dependem de como ele se sente dentro da empresa, como executa suas habilidades e quais são suas chances de crescimento propostas ali. Por exemplo, um funcionário que tem a oportunidade de utilizar suas habilidades e é estimulado a aperfeiçoá-las, será um colaborador mais envolvido e disposto. Ao contrário disso, ele se sentirá desvalorizado e sem perspectivas de crescimento, o que poderá resultar em um desgaste e uma desmotivação que não serão positivos na hora de desempenhar sua função.

É essencial, então, que a empresa deixe claras as oportunidades oferecidas e converse sobre o plano de carreira. Faça uma análise junto ao colaborador e realize questionamentos como: o atual cargo destaca seus pontos fortes? E suas habilidades? Estão sendo valorizadas no que ele faz? Pra qual direção sua carreira está tomando?

Faça um mapeamento dentro da companhia e apoie as metas para que haja uma promoção, por exemplo. Dar atenção a esse tipo de detalhe, faz toda diferença e motiva o funcionário a buscar melhorias em seu desempenho profissional.

Ouvidoria: escute o que o seu funcionário tem a dizer

Uma empresa que oferece atendimento ao público interno, com certeza sai na frente das outras. O diálogo é cada vez mais valorizado e melhora o desempenho das funções dos colaboradores. Para isso, a criação de uma Ouvidoria para escutar o que os colaboradores têm a dizer, pode ser um grande diferencial. Quando um funcionário sente que a empresa está disposta a escutá-lo e se preocupa com suas necessidades e eventuais problemas, ele se sente acolhido, valorizado e que pode contar com a organização.

Além disso, o setor de ouvidoria também pode conter um espaço voltado especialmente para casos mais graves, como denúncias ou abusos, por exemplo.

Aplique a cultura de feedback

Além do espaço para a Ouvidoria, é importante investir na aplicação do feedback com a sua equipe. Sendo aplicada de maneira correta, essa prática ajuda o colaborador a andar lado a lado da empresa, a entender como está sendo seu desempenho e quais pontos devem ser melhorados. Isso gera transparência e otimiza o relacionamento entre a organização e cada funcionário, melhorando, assim, seu desempenho, produtividade e engajamento.

Recompensas são sempre bem-vindas

Trabalhadores que são recompensados pelo seu desempenho, se sentem valorizados e percebem que seu esforço foi reconhecido, ficam mais satisfeitos e se dedicam mais ao trabalho. A valorização do trabalho bem feito é um fator-chave e pode estimular seu funcionário a se empenhar ainda mais.

Para isso, é importante agradecer regularmente pelos seus esforços, criar recompensas, premiações, gamificação ou até mesmo simples elogios no dia a dia. Tudo isso ajuda o colaborador a impulsionar sua performance no trabalho.

Você também pode separar um tempo para comemorar metas atingidas e entregas de sucesso, ou um happy hour semanal para estreitar o relacionamento. Não é preciso fazer celebrações extravagantes para fazer com que os funcionários entendam que estão sendo reconhecidos pela organização.

Pessoas: centro da cultura empresarial

A empresa precisa entender que, as pessoas que fazem tudo funcionar, são o patrimônio do empreendimento. A organização deve colher os benefícios de uma equipe engajada e isso pode significar entender que o funcionário possui uma vida pessoal lá fora. Por isso, a empresa deve incentivar seu time a equilibrar o trabalho e os momentos de lazer. Tente considerar iniciativas que permitam que os funcionários equilibrem sua vida fora do escritório de forma mais leve e fácil — permitindo flexibilidade de horários ou aplicando o tão falado home office, por exemplo.

Mostre que a empresa valoriza esse equilíbrio e faça com que todos sejam ouvidos, propondo um ambiente de trabalho mais agradável, feito de pessoas. Isso ajuda muito na hora de melhorar o engajamento e a produtividade na empresa.

SAIBA MAIS: Cultura de feedback: home office também pode se beneficiar dessa mindset!

Aplique as dicas e acompanhe a produtividade do seu time de perto

Viu só como é possível aplicar ações práticas que estimulem o engajamento e a produtividade do seu time no dia a dia?

Colocando todas essas dicas em prática, você pode precisar de uma ferramenta para monitorar o resultado dessa produtividade. E é aí, que a plataforma do fSense entra como sua melhor aliada! Com ela você consegue acompanhar o uso das máquinas em tempo real, avaliar os resultados, gaps e rendimento de seu time, em um só lugar.

Tudo isso facilita na hora de saber se as suas ações estão sendo aplicadas e gerando resultados de fato. Não é ótimo?

Mas não para por aí! O melhor de tudo isso é que você pode experimentar a ferramenta do fSense por 14 dias grátis, com instalação em até 10 máquinas.

Planejamento 2021: coloque a gestão de produtividade em pauta! | fSense

Planejamento 2021: coloque a gestão de produtividade em pauta!

Fim de ano nas empresas sempre é repleto de indicações do que acontecerá no ano seguinte. No entanto, é preciso que todas as ações estejam organizadas e alinhadas para atingir os objetivos da empresa. Está na hora de começar o planejamento 2021.

A função do planejamento é orientar as ações antecipadamente com a visualização de todo o processo. Com a continuidade das atividades determinada e detalhada.

2020 foi um ano repleto de desafios e mudanças repentinas, não é mesmo? A pandemia do novo coronavírus foi o grande evento que mudou nossa rotina de trabalho e exigiu muitas adaptações num curto período de tempo. O home office se tornou a regra para muitas empresas.

É normal que mudanças sejam feitas no trajeto. Mas temos certeza que as empresas que possuíam um planejamento estruturado conseguiram adaptar suas ações e organizar seu rumo com muito mais facilidade.

Seu planejamento para o ano que vem deve prever também estratégias para a produtividade do seu time. Quer entender melhor o que considerar? Vem com a gente!

O que seu planejamento 2021 de gestão de produtividade precisa ter

Para começar 2021 com o pé direito, é preciso fazer um planejamento completo, detalhando o maior número de tópicos. Veja algumas das nossas dicas:

Descreva o cenário atual

Apresentar o cenário atual é importante para identificar como está funcionando atualmente. Assim, fica mais fácil determinar o porquê das ações que serão detalhadas no planejamento, além de servirem de comparativo ao longo do ano.

Pense em separar em listas: o que necessita ser mantido, o que deve ser melhorado, o que precisa ser mudado e o que tem que ser excluído.

LEIA TAMBÉM: Comunicação síncrona x comunicação assíncrona – entenda a diferença e como aproveitar mais no dia a dia do seu time!

Estabeleça um cronograma de ações

Agora é hora de montar um cronograma, listando todas ações que devem ser realizadas ao longo do ano.

Coloque o período de duração, as pessoas envolvidas e o objetivo. Adeque a realidade da sua empresa e inclua as atividades planejadas focadas na produtividade do seu time.

Não esqueça do endomarketing

Funcionários motivados são mais produtivos. Parece que é óbvio, mas é o que muitas pesquisas mostram, como um estudo da Universidade da Califórnia.

Por isso, o endomarketing é uma área fundamental para continuar motivando e engajando o seu time.

No seu planejamento, aproveite datas comemorativas, aniversários e eventos como happy hour com certa frequência. Assim, sempre haverá atividades para sair da rotina do trabalho e aproximar o seu time.

Estabeleça metas reais

As metas são muitos importantes para incentivar o crescimento do negócio e da sua equipe. No entanto, é importante estabelecer objetivos realistas e atingíveis.

Se as metas são muito altas e o funcionário, mesmo se dedicando bastante, não consegue atingi-las, isso o deixará desmotivado. Portanto, é melhor trabalhar com objetivos que desafiem sua equipe, mas que ainda estejam dentro da sua capacidade. Trabalhe em conjunto com seu time para alcançar os propósitos.

Gere feedbacks construtivos

Sempre falamos aqui no blog sobre a importância dos feedbacks. É uma ferramenta de gestão extremamente útil, mas que acaba gerando resultados negativos quando o gestor ou RH não aplica corretamente.

O seu colaborador precisa sentir e saber o que acontece ao seu redor. Quando a empresa transmite os sinais para que ele possa crescer e se desenvolver como profissional, ele entende como tudo funciona, o que pode melhorar, mudar, como pode evoluir dali pra frente.

Por isso, seja claro, empático, reforce pontos positivos e seja propositivo para sanar os pontos negativos em conjunto.

Utilize plataformas para apoiar a sua gestão de produtividade

A tecnologia deve ser sua aliada para facilitar a gestão de produtividade do seu time. Essas métricas são muito importantes, tanto para acompanhar o colaborador quanto para garantir o caminho rumo às metas atingidas.

Por isso, apresente para os seus colaboradores informações para ajudar no processo de melhoria contínua. Incentive-os a aceitar esses dados para auxiliar no seu crescimento profissional.

CONHEÇA: 5 práticas de metodologias ágeis para apoiar a gestão de equipes

O fSense é a ferramenta ideal para acompanhar a produtividade do seu time

Para ter métricas reais sobre a produtividade do seu time, fSense é a ferramenta que você precisa! Com essa plataforma, você pode acompanhar o uso das máquinas em tempo real e avaliar quais são os principais gaps no rendimento do seu time.

Com relatórios completos, o fSense facilita o trabalho do gestor na hora de dar feedbacks, entender os desafios do seu time e embasar a tomada de decisão.

Quer experimentar agora? Aproveite 14 dias de teste gratuito! Instale em até 10 máquinas.

Produtividade no call center: 5 dicas para acompanhar e estimular o rendimento dos seus times

Produtividade no call center: 5 dicas para acompanhar e estimular o rendimento dos seus times

Em qualquer empresa, a produtividade é um fator que sempre merece uma atenção especial. No entanto, existem diversas particularidades a cada tipo de atuação, não é mesmo? Isso também se aplica à produtividade no call center.

Os profissionais de call center ou contact center lidam com uma rotina de trabalho dinâmica e que pode gerar muito estresse. Por isso, os gestores devem atuar para estimular a produtividade, motivar os colaboradores e melhorar o clima organizacional.

Neste artigo, sintetizamos 5 dicas para acompanhar de perto e estimular a produtividade no call center. Continue a leitura!

1 – Estabeleça metas e objetivos claros e atingíveis

Parece uma prática simples, mas a realidade é muito mais complexa. As metas são importantes para definir onde a empresa quer chegar. No entanto, é preciso que sejam possíveis de serem atingidas.

Isso faz toda a diferença no engajamento e na produtividade do seu time. Se o colaborador percebe que, mesmo com muito esforço, não consegue alcançar os resultados, ele ficará desmotivado. Isso impacta no seu rendimento e nos resultados gerais.

Por isso, procure criar um clima de melhoria contínua, mas acompanhando as capacidades do seu time. Assim, o time trabalha em conjunto para conquistar os objetivos.

LEIA TAMBÉM: 7 desafios de um gestor de equipes remotas e como vencê-los

2 – Invista em capacitação e treinamentos

No cotidiano de um time de call center, é comum que procedimentos sejam alterados, novos produtos inseridos ou informações adicionadas ao script. Tudo isso é importante para alinhar o trabalho de atendimento ao cliente com o negócio.

Por isso, periodicamente, é preciso realizar treinamentos para validar quais são as diretrizes que estão valendo para o atendimento. Capacitações e cursos de atualização também são sempre necessários.

Não deixe que essas atividades sejam vistas como punição por baixo desempenho. Uma mentalidade de melhoria contínua deve fazer parte do seu time e essas capacitações devem ser vistas como positivas, assim como o investimento da empresa nas capacidades de seus colaboradores.

3 – Utilize a tecnologia para simplificar processos e facilitar o trabalho do seu time

As novas tecnologias são grandes ferramentas para o atendimento ao cliente. Por isso, procure investir em novas soluções que facilitam o trabalho do seu time, com mais acesso à informação, otimização do tempo e foco na atividade principal: o bom atendimento ao cliente.

A URA é uma das ferramentas mais lembradas, pois faz uma triagem do atendimento para direcionar para os atendentes mais capacitados para cada função. Chatbots também podem acelerar esse processo, resolvendo questões mais simples e direcionando o atendimento para demandas mais complexas.

O atendimento por chat também facilita a descentralizar o atendimento, além de dar resolução a um número maior de demandas.

Veja quais são aderentes ao negócio e utilize essas ferramentas para apoiar o seu time.

4 – Recompense o seu time!

Já ouviu falar em gamificação? É utilizar mecânicas comuns aos jogos e aplicar ao trabalho para engajar e motivar os colaboradores.

É uma excelente estratégia para recompensar o seu time, trazer um clima saudável de competitividade e escalar as “premiações”.

Dessa forma, é possível criar metas, das mais simples às mais ousadas mas que podem ser atingidas por qualquer colaborador, e engajar em prol de resultados. Assim, todos podem se beneficiar e, ainda, gerar destaques.

5 – Feedbacks

Os feedbacks são uma excelente ferramenta para que o profissional entenda como está sendo o seu desempenho, de acordo com as expectativas da função e da empresa.

Muitas empresas adotam essa metodologia, mas muitos gestores fazem o feedback apenas para cumprir protocolos burocráticos da empresa. No entanto, acabam não enxergando a prática como uma grande possibilidade de desenvolvimento da equipe e de criação de um ambiente de trabalho mais transparente.

Isso pode resultar em um descontentamento dos colaboradores e até uma impressão de que a empresa não valoriza o seu time.

O ideal é que o feedback seja contínuo, para que a experiência seja mais efetiva e para que a cultura se estabeleça na sua empresa. Muitas companhias fazem ciclos anuais e acabam perdendo o timing de questões pontuais que poderiam ter sido destacadas no passado, por exemplo.

É importante também que o feedback não ocorra apenas como um registro dos pontos negativos. Destacar os pontos positivos, com naturalidade, também faz muita diferença e motiva o colaborador.

SAIBA MAIS: Cultura de feedback – sua empresa pode se beneficiar desse mindset!

Dica extra: que tal uma ferramenta que oferece dados concretos sobre a produtividade?

Viu só como dá pra transformar o engajamento do seu time com diversas ações práticas? Ter informações e retornos ajudam muito a incentivar a produtividade.

É com esse intuito que o fSense foi desenvolvido! Com essa plataforma, você pode acompanhar o uso das máquinas em tempo real e avaliar quais são os principais gaps no rendimento do seu time.

Com relatórios completos, facilita o trabalho do gestor na hora de dar feedbacks, entender os desafios do seu time e embasar a tomada de decisão.

Quer experimentar? Aproveite 14 dias de teste gratuitos agora! Você pode instalar em até 10 máquinas gratuitamente.

 

Home office: dicas para aumentar a produtividade da sua equipe

Home office: dicas para aumentar a produtividade da sua equipe

Sua equipe também adotou o modelo home office? Neste artigo vamos mostrar algumas dicas de produtividade do trabalho em casa, para você repassar para sua equipe hoje mesmo! Vamos lá?

Home office: o termo do momento

Home office é o termo da vez e muitas empresas estão adotando ou já adotaram este modelo de trabalho em casa. Já faz um tempo que muitas empresas praticam essa modalidade mas, mais do que nunca, vem ganhando espaço no mercado. Isso acontece devido ao avanço da tecnologia e do esforço das empresas em aumentar a digitalização de processos internos e externos. Atualmente, devido à pandemia causada pelo novo coronavírus, este avanço acabou se tornando mais rápido e bastante usual na rotina de muitas empresas. 

Algumas empresas ainda não são totalmente abertas a esse estilo de trabalho, mas como já falamos aqui, o home office possui diversos benefícios e pode ser uma opção bastante atrativa para os empresários.

Agora, vamos às dicas!

Dê um upgrade na produtividade da sua equipe

Muitas empresas já adotaram o home office em suas rotinas de trabalho. Mas, para muitas outras, isso ainda é uma novidade. É possível que alguns gestores ainda possam estar com dificuldades na hora de administrar o trabalho de suas equipes e é totalmente normal que todos ainda estejam se adaptando a este novo cenário. Por isso, é importante sempre pesquisar maneiras, dicas e ferramentas que colaborem para a organização do home office. 

Vem com a gente e confira algumas dicas simples para você colocar em prática com a sua equipe e melhorar a produtividade no home office.

Seguir a rotina 

Um ótimo começo é manter a rotina com a sua equipe. Combinar um horário para entrar e encerrar o expediente, por exemplo, é uma boa maneira de organizar a rotina e, consequentemente, obter disciplina no trabalho. Converse com seu time, faça-os entender que seguir a rotina normalmente é um passo muito importante para a produtividade. Seja tirando o pijama e colocando roupas que eles normalmente usariam na empresa, tomando um café balanceado ou tomando um bom banho antes de começar as atividades. 

Organizar o local de trabalho

Oriente sua equipe a manter a mesa de trabalho organizada, se possível, deixando-a vazia. Um ambiente de trabalho arrumado e sem possíveis distrações, auxilia na produtividade. Essa dica vale até mesmo para aquela papelada do trabalho que não está sendo utilizada naquele momento.

Faça uma boa gestão de tarefa no home office 

Mais do que horas trabalhadas, é fundamental que a equipe esteja alinhada com as demandas solicitadas no dia. Organize a tarefa de cada um e faça uma boa gestão de tempo, assim você tem controle do fluxo de atividades, prazos e quais entregas estão sendo feitas de acordo com o combinado. 

Crie canais de comunicação e faça reuniões diárias

A comunicação no dia a dia com seu time faz toda diferença! Por se tratar de um estilo de trabalho digital, a comunicação entre vocês deverá ser totalmente online também. O lado bom disso tudo é que, hoje em dia, não faltam meios de comunicação e aplicativos de mensagens instantâneas em nossos celulares e computadores, não é mesmo? 

Por isso, fica fácil fazer reuniões diárias para colocar as prioridades do dia, quais possíveis impedimentos na hora de uma pessoa executar uma tarefa ou qual meta vocês precisam alcançar. Ao concluírem cada reunião, é importante que o seu time saia bem orientado, sem dúvidas e comprometido com as atividades.

Estipule hora para tudo

Saiba a hora de começar e de encerrar as tarefas. Pode ser o mesmo horário que costumavam fazer na empresa ou então combinar novos horários.

Por estar em casa, não significa que a sua equipe tenha que trabalhar 24 horas por dia. É importante estipular um mesmo horário de jornada para todos. Isso ajuda, e muito, na execução do primeiro tópico acima em que falamos sobre organizar a rotina. 

Descansar também faz parte! Então, oriente a sua equipe a fazer um intervalo de descanso no almoço, por exemplo. Fale com todos os colaboradores e aconselhe-os a tentarem não mexer no computador ou celular durante esse período. Se ‘desligar’ por alguns minutos pode fazer toda diferença no rendimento para continuar a jornada de trabalho.

Uma boa comunicação é essencial

O trabalho a distância também pode ser estressante. Por mais que exista a comunicação virtual, muitas vezes ela pode se perder ou não ser transparente o suficiente. O ideal nessas horas é fazer sua equipe entender o que você espera de cada um deles e vice-versa. Esclareça possíveis dúvidas de uma demanda, quais objetivos vocês devem alcançar e deixe claro os detalhes para a execução das tarefas.

Uma dica aqui é fazer um planejamento semanal. Com ele você e sua equipe conseguem alinhar as expectativas de entregas e objetivos a serem alcançados.

Aposte em ferramentas para gestão de home office

Hoje em dia existem várias ferramentas que podem auxiliar o processo de gestão no home office. Desde o controle de atividades, até o controle de tempo que cada pessoa leva para realizar as tarefas. 

Com essas ferramentas você consegue se organizar e, assim, organizar a rotina de toda a sua equipe, melhorando o fluxo de trabalho de todos os envolvidos nos projetos.

Se você gostou deste artigo, continue acompanhando a gente por aqui! E, para mais dicas de como aumentar a produtividade da sua equipe, confira o mapa visual exclusivo que preparamos para te ajudar nessa tarefa. 

Campanhas motivacionais: 4 ideias para implantar na sua empresa

Manter colaboradores sempre motivados é um exercício que exige dedicação. Os gestores precisam estar atentos às necessidades dos colaboradores para propor maneiras de deixá-los satisfeitos com o trabalho e, consequentemente, fazê-los produzir mais. Uma boa solução para isso são as campanhas motivacionais.

Mas elas não têm apenas esse objetivo. As campanhas motivacionais contribuem para aumentar o senso de pertencimento, estimular a cooperação entre os colaboradores, melhorar o clima organizacional e trazer melhores resultados para a empresa.

Separamos neste artigo algumas ideias de campanhas motivacionais para você se inspirar e implantar ações desse tipo na sua empresa, seja em operações alocadas na própria empresa ou para equipes home office.

4 ideias de campanhas motivacionais para os seus colaboradores

Há diversos tipos de campanhas motivacionais, de acordo com o objetivo que se pretende. Aqui, trouxemos 4 delas para você identificar qual é ideal para cada momento na sua empresa.

1. Incentivo

As campanhas de incentivo são as mais comuns entre as empresas. Elas são elaboradas com o objetivo de engajar os colaboradores para alcançarem determinado objetivo, ainda que não haja premiação. A ideia é criar um ambiente de motivação e alto desempenho.

Por exemplo, a empresa pode pensar em destacar a equipe que mais teve avanço em comprometimento, proatividade, disciplina, relacionamento interpessoal, entre outros aspectos.

Sendo assim, até colaboradores que trabalham remotamente, no modelo de trabalho home office, podem participar. Essa é uma forma de manter o engajamento da equipe, mesmo de longe, já que essa é uma tarefa mais difícil para gestores de operações remotas.

2. Premiação

As campanhas motivacionais que envolvem premiação são ainda mais efetivas, uma vez que os colaboradores têm um incentivo a mais para atingirem os objetivos propostos pela empresa.

Campanhas de vendas são exemplos comuns. A empresa pode premiar um ou mais vendedores em períodos preestabelecidos: mensal, trimestral ou anual, por exemplo.

É importante que as comissões e os prêmios concedidos sejam atrativos, como valores em dinheiro, viagens ou vouchers de lojas.

A empresa pode também optar por conceder a premiação apenas se a meta estipulada no planejamento for alcançada, em vez de sempre premiar o colaborador que mais vender. Dessa forma, a empresa consegue estimular o trabalho coletivo, em busca de melhores resultados de vendas por toda a equipe e, não, individualmente.

3. Integração

As campanhas motivacionais de integração são aquelas que incentivam os colaboradores a se unirem, em vez de trabalharem apenas dedicados aos seus objetivos individuais. Nesse tipo de campanha, pode ou não haver premiação.

Um exemplo é a ideia de uma campanha que contabilize há quantos dias a empresa está sem receber reclamações de clientes. Esse tipo de campanha motivacional tem como objetivo impulsionar os funcionários a atingirem a excelência no atendimento. A premiação pode ser concedida de acordo com a quantidade total de dias conquistados sem nenhuma reclamação.

Para incentivar os colaboradores, a empresa pode divulgar uma placa com dizeres como “Estamos a 154 dias atendendo nossos clientes com excelência”.

4. Datas comemorativas

Datas comemorativas também são um importante apelo para campanhas motivacionais. O final do ano, especialmente, é uma época em que as empresas costumam implantar campanhas para engajamento dos colaboradores e premiar os destaques do ano.

Próximo ao Natal, que tal promover uma competição saudável entre as áreas da empresa? Uma ideia é promover uma gincana que incentive a solidariedade, na qual os colaboradores façam uma ação social em alguma instituição escolhida pela organização.

A campanha pode estimular, por exemplo, que os colaboradores arrecadem brinquedos, roupas e alimentos para serem doados a crianças ou idosos. A cada determinada quantidade doada, a empresa também pode fazer a parte dela, doando um percentual em dinheiro, por exemplo.

A entrega pode ser feita pelos colaboradores da área vencedora, em uma festa de Natal na instituição, promovida pela empresa. Esse envolvimento eleva a participação dos colaboradores, motivando-os também para suas atividades no trabalho.

Torne as campanhas motivacionais parte da estratégia da empresa

Para que as campanhas motivacionais sejam bem sucedidas, é essencial que elas façam parte da estratégia da empresa. Elas devem ser planejadas, contar com verba própria e ter uma equipe responsável pela implantação.

Além disso, é importante que a efetividade das campanhas motivacionais seja mensurada para que, quando forem realizadas novamente, a empresa conte com dados para repetir ou até mesmo melhorar as propostas.

Analise o perfil da sua empresa e identifique as melhores opções de campanhas motivacionais para aplicar aos seus colaboradores.

Para implantar campanhas motivacionais efetivas na sua empresa, é importante conhecer o comportamento dos seus colaboradores. Assim, fica mais fácil definir uma ação que seja se interesse deles. Sobre esse assunto, leia o artigo “Por que dados de monitoramento são importantes para um plano de ação?”.

Relatórios qualitativos e quantitativos: você sabe fazê-los de maneira correta?

Relatórios qualitativos e quantitativos: você sabe fazê-los de maneira correta?

Para uma gestão eficiente, é inegável que os dados são fundamentais. Eles é que vão nortear as melhores decisões da empresa. E, para isso, é claro que os relatórios também são essenciais. Afinal, eles são os responsáveis por apresentar, da melhor maneira, esses dados.

Portanto, os relatórios são indispensáveis para o acompanhamento dos resultados da empresa, para entender a gestão de maneira abrangente e, sobretudo, para servirem como referência para planos de ação que levem a empresa a alcançar novas metas.

Para esses objetivos, existem dois tipos básicos de relatórios: quantitativos e qualitativos. Ambos são importantes para qualquer que seja o segmento da empresa, mas atendem a necessidades diferentes. Neste artigo, trouxemos as principais diferenças entre eles para te ajudar a fazê-los de maneira correta na sua empresa.

Relatórios qualitativos x relatórios quantitativos: quais são as diferenças?

De maneira geral, os relatórios qualitativos abordam aspectos mais amplos, enquanto os relatórios quantitativos ficam restritos a uma análise de números.

Por exemplo, um relatório qualitativo de vendas aponta qual é a preferência dos clientes em relação a modelos ou cores, qual o estado ou região do país com maior volume de compras, quais itens foram comprados juntos e assim por diante. Enquanto isso, um relatório quantitativo de vendas aponta a quantidade de itens vendidos e o faturamento total.

Mais uma vez, é extremamente importante ter em mente que não há relatórios mais ou menos importantes. Cada um atende a uma finalidade.

Para que servem os relatórios qualitativos?

O relatório qualitativo tem perfil mais analítico e proporciona uma visão ampla da situação. A elaboração dele é mais complexa, exige mais tempo e, por isso, não é ideal para ser feita diariamente. Ao mesmo tempo, porém, é o recurso mais interessante para entender os detalhes do desempenho da empresa.

Voltando ao nosso exemplo de um relatório de vendas, imagine que o faturamento permanece estável de um mês para o outro. À primeira vista, tudo está bem, mas, por meio de um relatório qualitativo, é possível identificar que determinado grupo de clientes parou de comprar, enquanto outro triplicou o ticket médio. Essa modificação no comportamento do consumidor, embora não seja visível à superfície, exige uma mudança na estratégia de marketing e vendas da empresa.

Para que servem os relatórios quantitativos?

O relatório quantitativo é ideal para quando o gestor precisa de uma visão rápida sobre a situação do negócio. Ele não exige muito esforço de interpretação. Traz, de maneira clara e objetiva, os números que interessam para a área da empresa que se deseja analisar.

No exemplo do relatório de vendas, se o faturamento de determinado mês é R$ 500 mil e o mês seguinte é R$ 100 mil, é fácil dizer que alguma coisa está errada.

Esse não é um exemplo muito realista, porque, normalmente, os relatórios quantitativos são usados para um acompanhamento minucioso do desempenho do negócio, com intervalo de tempo bem menor.

Por exemplo, muitas empresas fazem um levantamento diário das vendas, justamente para identificar quedas de um dia para o outro. Isso permite que os gestores tomem uma atitude de imediato, em vez de esperarem um relatório do final do mês para tomar uma providência.

Por que os relatórios qualitativos e quantitativos são importantes?

Para elaborar relatórios estratégicos, o gestor deve, antes, estabelecer os indicadores tanto qualitativos quanto quantitativos. Indicadores são os dados numéricos que medem entradas e saídas, desempenho dos processos, fluxos de informações, entre outros. A partir desses indicadores é que é possível construir relatórios para avaliar e orientar as equipes.

Os indicadores são formas de demonstrar o estágio de eficiência (uso dos recursos para atender as necessidades) e eficácia (execução correta das tarefas para atingir metas) alcançado.

Podem ser usados indicadores para medir o desempenho da equipe quanto a comportamentos, percepções, reações, evolução, nível de satisfação, índice de absenteísmo (faltas ao trabalho), rotatividade (turn over), horas de treinamento, entre outros. Há também indicadores para avaliar os clientes: as reações, o comportamento, as reclamações e o nível de satisfação. E há ainda os relacionados ao mercado e à organização.

Conheça alguns indicadores que podem ser utilizados nos seus relatórios:

Indicadores qualitativos

• Número de oportunidades de melhorias identificadas/ligações;
• Quantidade de aspectos que necessitam de aperfeiçoamento;
• Horas necessárias de treinamento por profissional;
• Número de metas que alcançaram sucesso/número de metas planejadas (durante um determinado período de tempo).

Indicadores quantitativos

• Volume de vendas;
• Produtividade dos colaboradores;
• Quantidade de tarefas diárias;
• Número de contatos realizados e recebidos.

Para escolher os indicadores a serem analisados, a empresa precisa observar quais dados são importantes para o negócio. No caso de colaboradores que trabalham no modelo home office, por exemplo, o indicador de produtividade é importantíssimo. Isso poque é mais difícil medir o desempenho deles por não estarem no espaço físico da empresa.

Já para uma operação de cobrança, o volume de recuperação de crédito é um indicador indispensável. Afinal, esse é o principal objetivo que ela precisa cumprir.

O relatório também é importante para a análise das exigências de compliance estabelecidas pela empresa. É por meio do relatório que o negócio é capaz de saber se os colaboradores estão cumprindo as regras para manter a empresa em conformidade com as normas do setor.

Como elaborar os relatórios qualitativos e os relatórios quantitativos?

Siga essas 5 dicas para elaborar relatórios qualitativos e quantitativos de maneira correta.

1. Use dados de qualidade

Você não pode confiar em um relatório elaborado a partir de dados sem precisão. Se as informações não são relevantes, o relatório também não é útil para a sua tomada de decisão.

Além disso, se os dados não são claros e bem organizados, tentar usá-los vai consumir muito tempo e prejudicar a sua produtividade. Resumindo, dados de qualidade são essenciais para elaborar relatórios de maneira correta.

2. Comece pela visão macro

Macro e micro são dois termos muito usados no meio corporativo. O primeiro refere-se a uma análise geral, enquanto o segundo refere-se à análise detalhada.

Cuidado para não cair na armadilha de desenvolver todos os seus relatórios a partir de uma visão micro, ou seja, colocando tudo no microscópio. Isso não é viável a longo e médio prazos. Afinal, sua equipe desenvolve muitas atividades. Você precisaria de colaboradores dedicados somente para desenvolver relatórios e conseguir manter esse ritmo.

Em vez disso, comece seu relatório a partir de uma visão geral. Depois, faça a análise micro apenas nos pontos mais relevantes para a atividade gerencial.

3. Use recursos visuais

Relatórios com muito texto e números são cansativos. Se você, eventualmente, tiver que apresentá-los a outras pessoas – como o restante do quadro de gestão ou os acionistas da empresa e possíveis investidores –, esse tipo de relatório não vai causar um bom impacto.

Então, é importante dosar os elementos. Sempre que possível, procure usar recursos com maior apelo visual. Isso inclui gráficos, tabelas e mapas, por exemplo, que facilitam a compreensão. Quanto ao texto, tente ser o mais objetivo e conciso.

Vale a pena lembrar, ainda, que o relatório gerencial deve ter uma estrutura bem organizada. Divida o texto em seções para facilitar a leitura.

Você pode criar uma introdução, também conhecida como sumário executivo, apresentando os dados que serão analisados, e uma conclusão, demonstrando o que foi percebido em relação ao desempenho da empresa.

4. Recorra a relatórios anteriores

Nunca descarte um relatório elaborado. Esse mesmo documento será muito útil, quando, algum tempo depois, for preciso analisar novamente o desempenho da empresa em relação aos mesmos fatores.

Imagine que você quer avaliar a evolução do BackOffice na empresa. Comparar o tempo médio de atendimento hoje com aquele de um ano atrás permite identificar as decisões e as práticas que deram certo ou não, os problemas que já foram resolvidos, os novos problemas que surgiram, entre outros fatores.

Também é um forte argumento para mostrar aos stakeholders do negócio que você tem promovido ações concretas de melhoria ao longo do tempo.

De qualquer maneira, é muito mais fácil realizar essa comparação quando você tem o relatório completo do ano anterior, em vez de resgatar dados antigos e analisá-los novamente.

Portanto, salve cada relatório elaborado em uma pasta e guarde esses arquivos. Com o tempo, eles serão úteis.

5. Conte com ferramentas tecnológicas

No passado, coletar dados era um processo manual. Hoje, é possível contar com ferramentas tecnológicas capazes de coletar informações sobre qualquer atividade dentro da empresa: vendas, marketing, finanças, produção, backoffice.

Dessa forma, cabe ao gestor somente o papel estratégico da análise, que conta com todos os dados necessário já organizados pela ferramenta. É o caso do fSense, que coleta dados de todas as atividades que o colaborador realiza em sua estação de trabalho. Assim, o gestor tem acesso a informações que o permitem identificar quanto tempo o colaborador dedica ao trabalho e quanto tempo ele deixa para atividades pessoais, quais sites ele acessa, se cumpre ou não as regras de segurança da informação estabelecidas pela empresa, entre outros dados relevantes para a elaboração do relatório.

Para conhecer todas as funcionalidades do fSense e entender como ele pode fornecer dados relevantes para os relatórios da sua empresa, leia o artigo “fSense: como usar e quais os principais benefícios”.

Conheça os resultados que a sua empresa pode alcançar com o fSense

fSense: conheça os resultados que a sua empresa pode alcançar

Produtividade é o foco quando se pensa em fSense. O sistema de monitoramento em nuvem foi desenvolvido para coletar informações sobre as atividades dos colaboradores da empresa em suas estações de trabalho e, assim, fornecer dados sobre o comportamentos deles centralizados em um dashboard.

Mas a produtividade não é o único resultado que a sua empresa pode alcançar com o uso do fSense. Neste artigo, conheça os principais benefícios que o seu negócio pode ter com a instalação da ferramenta.

5 resultados que a sua empresa pode alcançar com o fSense

1. Segurança de dados da empresa

Além de mensurar a produtividade do time, o fSense é capaz de verificar se as regras de segurança definidas pela empresa estão ou não sendo sumpridas.

Por meio do dashboard do fSense, o gestor pode categorizar sites e aplicativos em quatro categorias: “Uso de Trabalho”, “Uso de Trabalho Não Aprovado”, “Uso Pessoal” e “Uso Pessoal Não Aprovado”.

Dashboard fSense

Com essa classificação, é possível, por exemplo, categorizar o acesso ao domínio “www.facebook.com” e ao aplicativo WhatsApp como “Uso Pessoal Não Autorizado”. Já o Excel e o Word podem ser categorizados como “Uso de Trabalho”.

Dessa forma, em poucos cliques, o gestor acompanha se o seu colaborador home office está utilizando ferramentas relacionadas ao trabalho ou se está se distraindo com conteúdos pessoais que não são pertinentes à realização das suas tarefas.

O fSense também possibilita ver quanto tempo cada colaborador passou em determinado site ou aplicativo. Dessa forma, fica muito mais fácil aferir a produtividade individual dos colaboradores e identificar possíveis gaps nos processos de trabalho.

2. Tomadas de decisões melhores com o fSense

Um dos grandes benefícios do fSense é poder tomar decisões mais assertivas e, não, baseadas em “achismos”. As informações fornecidas pelo sistema dão ao gestor uma visão mais clara sobre a produtividade dos colaboradores.

Assim, qualquer alteração que seja necessária para garantir melhores resultados passa a ter base fundamentada em dados, o que também aumenta a chance de alcançar as metas definidas e, inclusive, tornar a empresa mais lucrativa.

3. Mais produtividade de colaboradores home office

O home office, modelo de trabalho em que o colaborador exerce suas funções em casa, está cada dia mais popular entre as empresas, principalmente pela economia em infraestrutura que é gerada com a adoção desse formato.

No entanto, manter colaboradores trabalhando a distância, fora do ambiente físico da empresa, é um desafio do ponto de vista da produtividade. Algumas organizações ainda têm receio de adotar esse modelo de trabalho justamente pela dificuldade de medir a performance do colaborador home office.

Mas, com o fSense, essa tarefa deixa de ser um problema. Como o sistema registra todas as ações do computador do colaborador, fica mais fácil analisar o seu aproveitamento, identificar comportamentos que não estejam de acordo com as políticas da empresa e fornecer dados concretos que sirvam como base para o gestor cobrar melhores resultados desse colaborador.

4. Adequação da empresa às políticas de compliance

O compliance é muito relevante para o contexto empresarial. Para alguns setores, é fundamental estar em conformidade com determinadas normas, seguindo à risca as orientações para se manter no mercado. Por isso, é importante contar com uma ferramenta que garanta que os colaboradores sigam as regras determinadas.

Para que um programa de compliance seja seguido com rigor, a empresa precisa ter métricas de desempenho bem definidas. Afinal, é preciso acompanhar os progressos e repensar aquelas estratégias que não tiveram bons resultados. Nesse ponto, o fSense auxilia na mensuração dessas métricas e na interpretação delas. O sistema, de fácil compreensão com dashboard intuitivo, ajuda o gestor a identificar falhas, reduzir riscos e aplicar as correções necessárias.

5. Acompanhamento do desempenho em tempo real

Ao instalar o fSense no computador de trabalho do colaborador, as informações sobre todas as atividades que ele realiza passam a ser registradas e enviadas para a conta online do gestor. No dashboard, é possível acompanhar esses dados em tempo real, seja no desktop ou no smartphone, bastando ter conexão à internet.

Nos cards, a ferramenta mostra informações de consumo rápido, como quantos computadores e aplicativos estão sendo monitorados, além de gráficos de atividades categorizadas, atividades por usuário, utilização de aplicações, acesso a websites, entre outros.

Dessa forma, com dados sempre disponíveis, o gestor pode mensurar em tempo real a produtividade da equipe, levantando quais são os colaboradores que ficam mais tempo ociosos e aqueles que realmente se empenham nas atividades.

Linha do tempo fSense

Teste o fSense gratuitamente

Para ter acesso a todas essas funcionalidades para garantir melhores resultados para a sua empresa, faça o seu cadastro. Você pode testar o fSense gratuitamente durante 15 dias em até 10 estações de trabalho. Experimente agora e otimize a sua gestão:

Saiba como problemas de gestão podem trazer gaps de produtividade para a equipes home office e o que você deve fazer para superá-los.

Home office: problemas de gestão podem trazer gaps de produtividade

O home office é uma modalidade adotada por 40% dos trabalhadores nos Estados Unidos. No Brasil, 26% das grandes empresas já oferecem a possibilidade do home office para, ao menos, uma parte dos seus funcionários. Os motivos por trás da popularidade desse modelo de trabalho é o aumento da produtividade dos colaboradores e a economia da empresa com os gastos relacionados a infraestrutura.

Para conferir mais vantagens do home office para o seu negócio, leia este artigo: “Home office: benefícios e vantagens para sua empresa“.

No entanto, nem tudo são flores. Muitas empresas e gestores têm dificuldade em gerir trabalhadores remotos. E isso traz problemas para a produtividade e o engajamento da equipe home office.

Neste artigo, vamos tratar dos principais problemas causados pela má gestão de colaboradores home office. Esses dados foram levantados segundo a “The Workplace Revolution“, pesquisa realizada pelo grupo Regus e publicada em 2017.

Os principais problemas causados pela má gestão de equipes home office

Muitas empresas oferecem a modalidade home office sem, no entanto, oferecer ou cobrar que o colaborador possua infraestrutura adequada para trabalhar. Como consequência, o funcionário não consegue ser produtivo.

A infraestrutura adequada pode ou não ser oferecida pela empresa. Afinal, o que importa é que o colaborador tenha um espaço exclusivo para trabalho. Isso inclui um computador que suporte as suas atividades e boa conexão de internet, uma vez que reuniões virtuais, uploads e downloads são muito necessários nesse tipo de trabalho.

Sem a infraestrutura necessária, o trabalho pode se tornar mais lento. Esses problemas de infraestrutura podem ser por conta da conexão ruim, de um computador que apresenta problemas continuamente ou, até mesmo, por conta das interrupções causadas pela família. Essas interrupções – que é um problema apontado por 48% dos entrevistados da pesquisa do Regus.

Por conta de todos esses problemas, muitos dos colaboradores (45%) entrevistados para a pesquisa apontam que têm dificuldades de se concentrar no trabalho.

Por que esses problemas são culpa da gestão?

Todos os principais problemas apontados pelo estudo realizado pelo grupo Regus são por falta de organização da empresa em relação à modalidade de trabalho home office.

Para efetuar contratações home office, é preciso pensar na infraestrutura que será utilizada pelo colaborador. Avalie se a sua empresa será responsável por fornecer o equipamento de trabalho ou se as contratações serão feitas mediante comprovação da infraestrutura do colaborador.

Além disso, é necessário utilizar softwares que permitam à empresa comprovar a produtividade do colaborador.

Existem no mercado opções de sistemas que, quando instalados na estação de trabalho que se deseja monitorar, printam a tela do colaborador e até mesmo as imagens da webcam. Assim, garantem que o funcionário está mesmo realizando o seu trabalho em seu escritório.

Além de prints, sistemas de monitoramento também conseguem verificar quais softwares e aplicações estão sendo utilizados pelo seu colaborador. No caso de home office, isso é importante para garantir que sejam seguidas as normas da empresa em relação aos sistemas utilizados no trabalho.

Em tempos em que a segurança da informação deve ser uma prioridade para a empresa, ter normas de conduta definidas é fundamental para garantir que dados e informações não sejam vazados. Trabalhando com equipes remotas, esse controle deve ser feito de maneira ainda mais rígida.

Tomando esses cuidados, vale a pena investir em home office

Superando os problemas apontados através da organização da gestão de equipes remotas, é possível ter uma excelente experiência com o home office. 56% dos entrevistados pelo Regus garantem que a sua produtividade aumenta com o trabalho remoto, por conta de seus benefícios e da boa infraestrutura da qual desfrutam.

Se você quer um software que te ajude a acabar com os problemas de produtividade da sua equipe remota, conheça o fSense. Trata-se de um sistema de monitoramento em nuvem que tem inúmeras funções para auxiliar sua empresa a engajar os colaboradores home office e aumentar a sua produtividade.