Como fazer o onboarding no fSense de um novo colaborador?

Os processos de onboarding não precisam ser complexos. Veja o passo-a-passo de como fazer o onboarding no fSense de um novo colaborador. 

Você sabe como fazer onboarding no fSense? O monitoramento de funcionários é importante para garantir a produtividade da equipe e manter o time alinhado aos objetivos da empresa. Assim, utilizar sistemas como o fSense ajudam nessas ações. 

Com um dashboard completo, é possível obter insights valiosos e visualizá-los de forma simples. Desse modo, os gestores entendem o comportamento de cada colaborador e analisa os hábitos de trabalho de cada um. 

Além disso, o fSense é uma plataforma que exibe gráficos descomplicados de resumo das atividades monitoradas, o histórico de atividades, ações executadas na linha do tempo, screenshots da tela, categorização de aplicações e websites, administração de usuários e ajuda e suporte online.

Passo-a-passo do onboarding no fSense 

Para utilizar o fSense é muito simples e em apenas 4 passos é possível começar o monitoramento nos computadores da empresa. Além disso, em casos de dúvidas ou dificuldades, é possível acessar o suporte da plataforma, para receber ajuda na hora. Confira. 

1 – Realize o primeiro Login 

O onboarding no fSense — processo de integração de um novo colaborador ou cliente na plataforma — começa com o primeiro login.

É por meio dele que os novos usuários vão adquirir conhecimento sobre as funcionalidades do produto e começar a sua jornada.  Assim, no primeiro acesso ao sistema, o usuário já consegue visualizar a tela de boas-vindas. 

2 – Faça o download do Agente Desktop para iniciar o onboarding

Em seguida, o usuário deve instalar o agente desktop nos computadores para começar o monitoramento.  Ao clicar no ícone de download, o usuário será redirecionado para uma tela, para efetivação do download.

Também há a opção de compartilhar esse link por e-mail. Enquanto o download não for concluído, o ícone indicará um sinal de alerta, mostrando que essa etapa precisa ser finalizada. 

Assim, para que os dados sejam coletados e o gestor consiga ter acesso às informações, o agente desktop deve ser instalado e ativado nos computadores. Depois de instalado, o computador já começa a enviar informações diretamente para a conta vinculada, inserida no momento da ativação do agente desktop. 

3 – Receba os primeiros dados e realize a categorização 

A partir do momento que o dashboard começa a receber informações, significa que a etapa inicial está concluída. Depois disso, é hora de organizar os dados e categorizar as aplicações.

Quando os dados começarem a surgir, a plataforma emitirá uma notificação que orienta o usuário a categorizar as aplicações e websites identificados. Esses sites não categorizados ficarão disponíveis na aba de pendências até que sejam categorizados. 

Vale ressaltar que a categorização deve ocorrer sempre que necessário, conforme as necessidades de cada negócio. Ao lado do item de pendências, há um campo de buscas que permite pesquisar tudo que já foi categorizado. 

4 – Comece a analisar as ações 

Depois disso, o usuário já pode realizar análise e segmentar informações. Por exemplo, é possível selecionar o filtro de pesquisas, que permite restringir os resultados exibidos no dashboard a partir de um período determinado. Podendo ser no dia atual, há 7 dias, últimos 30 dias ou um período personalizado. 

Ao clicar em cima dos gráficos, é possível detalhar as informações e ao navegar pelo dashboard é possível identificar outros aspectos do comportamento do colaborador. Na linha do tempo, por exemplo, é possível identificar as ações executadas dos computadores monitorados, durante todo o período de trabalho. 

Portanto, ao utilizar o sistema fSense é possível ter mais controle e assertividade das decisões da empresa. 

Se você ainda tem alguma dúvida sobre o onboarding do sistema, acesse o nosso site e confira o guia completo do usuário. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.