Vulnerabilidade digital: 4 dicas de como proteger sua empresa

Para evitar a vulnerabilidade digital, as empresas precisam estar com os requisitos de segurança em dia, além de realizar treinamentos constantes com a equipe. 

A sua empresa tem alguma vulnerabilidade digital? Segundo a empresa brasileira de segurança cibernética, Apura, são registrados na plataforma cerca de 7 milhões de eventos ligados a ciberataques todos os dias. Nos últimos três anos, já são mais de 2,2 bilhões de ocorrências. 

Ou seja, cada vez mais é fundamental que as empresas resguardem seus sistemas operacionais para evitar possíveis cibercrimes. Seja por falha humana ou falha tecnológica, os ataques podem impactar no vazamento de dados da empresa e seus clientes, gerando graves problemas. 

O que é a vulnerabilidade digital? 

O termo vulnerabilidade digital vem crescendo nos últimos anos e se refere à fraqueza nos sistemas computacionais, que permite que hackers e pessoas mal intencionadas tenham acesso ao sistema ou computador de uma empresa, colocando em riscos as informações e dados armazenados naquele ambiente. 

Entre os tipos de ataque estão a vulnerabilidade em redes, que permite que uma rede seja invadida, concedendo o acesso dos sistemas. Já a vulnerabilidade dos sistemas operacionais são falhas nos sistemas físicos, como celulares, computadores ou tablets que são exploradas pelos hackers. 

As vulnerabilidades em softwares e aplicativos são sites ou apps abertos dentro dos sistemas que podem conter vírus ou outros arquivos maliciosos, por isso, baixar programas e usar sites que não sejam legítimos, aumenta o risco dessas invasões. 

O crescimento da vulnerabilidade digital é explicado pela expansão no uso da tecnologia nos últimos anos e a falta de conhecimento e treinamento dos usuários para prevenção de todos os riscos. 

Como proteger a empresa da vulnerabilidade digital?

Diante deste contexto, é fundamental que os gestores criem um ambiente digital seguro, tracem metas e estratégias para diminuir os riscos. Confira algumas dicas para proteger a sua empresa. 

1 – Treine os colaboradores

Em vazamento de dados ou falhas de segurança, o usuário é o maior responsável. Mesmo que de forma indireta, hábitos e ações podem colocar em risco toda a empresa. Por isso, embora seja responsabilidade do time de TI cuidar da parte de segurança, se os colaboradores não forem treinados com boas práticas, certamente algum erro vai acontecer. 

O primeiro passo a seguir é criar uma política de segurança, divulgar para todos os integrantes e realizar treinamentos periódicos sobre o assunto. Dar exemplos práticos e fazer um questionário é importante para entender o grau de conhecimento da equipe que usa os sistemas e computadores da empresa. 

2 – Dê equipamentos para o trabalho 

Um dos motivos de vazamentos e erros ocorre quando o usuário acessa algum site ou aplicativo malicioso durante o uso pessoal. Por isso, é fundamental que a empresa ofereça computador e celular para uso corporativo e faça todo o treinamento sobre o melhor uso dos sistemas, explicando, inclusive, que caso a falha ocorra por motivo de mal uso, o colaborador também poderá ser implicado na ação. 

3 – Exija que os colaboradores utilizem a autenticação de 2 fatores

Essa é uma dica importante, principalmente para empresas que mantêm informações financeiras de clientes em seu banco de dados ou dados sigilosos. Por vezes, vemos aplicativos e sites sendo hackeados por causa de senhas fracas ou vulneráveis. 

Para evitar isso, a autenticação de dois fatores cria uma camada extra de validação. Ou seja, é preciso que o usuário receba um código em seu celular ou um link no e-mail para validar o acesso ao sistema. Dessa forma, mesmo que o hacker consiga o primeiro acesso, ele não conseguirá validar o segundo item. 

4 – Use sistemas de monitoramento 

Por fim, para garantir o compliance e que todas as boas práticas estão sendo seguidas é importante que o gestor consiga monitorar os acessos dos colaboradores. Dessa forma, é possível identificar acessos estranhos ou perigosos e acionar o time de TI antes que o sistema seja invadido.

O fSense é um sistema de monitoramento que ajuda nessa ação. Basta instalar o sistema na máquina a ser monitorada e pronto, o gestor já tem acesso aos sites navegados, prints de tela e tempo ocioso.  

Portanto, para evitar a vulnerabilidade digital o gestor precisa estar sempre atualizado quanto às possíveis fraquezas do sistema, bem como os colaboradores precisam estar cientes dos riscos e ter acesso a meios de proteção. Para acompanhar mais novidades, siga-nos nas redes sociais. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.