Definir-boas-metas-de-produtividade-para-a-sua-equipe.

Saiba como definir boas metas de produtividade para a sua equipe

O mercado atual exige alta performance das empresas e dos seus colaboradores durante 100% do tempo. Por isso mesmo, metas de produtividade são fundamentais para que a organização possa atingir os resultados pretendidos.

As metas não são apenas números decorativos para você incluir no seu planejamento. Tratam-se da tradução numérica dos objetivos estratégicos — que devem ser perseguidos pelos colaboradores. É por meio da definição de metas e objetivos que se inicia a criação de estratégias para o alcance dos resultados.

Por isso, é necessária uma metodologia para a criação das metas. Especificar números de forma aleatória não contribui em nada com o dia a dia da empresa e, dependendo da aposta, o que você pode conseguir é desmotivar a equipe — que jamais conseguirá alcançar os objetivos traçados.

Planejamento estratégico como norte

A definição de metas deve partir daquilo que foi definido no planejamento estratégico da organização. Esse plano, por seu turno, precisa ter como norte a definição de três itens fundamentais para orientar o trabalho das equipes:

  • missão: trata-se da razão de ser da empresa. É o motivo pela qual ela foi criada e permanece no mercado;
  • visão: representa os objetivos futuros a serem alcançados. A visão gira em torno dos desejos dos fundadores, mas deve estar calcada em possibilidades reais de alcance;
  • valores: estão impregnados no DNA dos fundadores e, consequentemente, fazem parte da cultura organizacional da companhia. Podem ser traduzidos por meio de palavras como respeito, honestidade, dignidade e ousadia.

Com o nascimento do planejamento estratégico, nascem também as metas. Elas devem ser traçadas com base nos objetivos da organização, já que orientam o trabalho dos colaboradores em direção aos resultados pretendidos pelos gestores.

Metas nem fáceis nem impossíveis

Na hora de traçar as metas, é preciso ficar atento aos valores que serão destinados a cada área ou colaborador. As metas devem ser factíveis, mas desafiadoras. O que isso quer dizer?

Simples: com muito trabalho, estratégia e dedicação, o funcionário deve ter a possibilidade de atingir o objetivo traçado. Caso contrário, ele pode se desmotivar por ver que foi planejado um número praticamente impossível de alcançar.

Por outro lado, não se pode traçar objetivos muito fáceis, que sejam constantemente atingidos antes mesmo do período planejado. Se isso acontece com frequência, a equipe pode se acomodar e o efeito será o inverso. Para evitar isso, a meta deve representar um desafio para toda a equipe.

Quanto mais individualizado melhor

Que as metas devem acompanhar o planejamento estratégico, você já sabe. Mas é preciso mais apuro na hora de definir os objetivos, para que os números fiquem mais próximos da realidade de cada equipe e de cada colaborador.

O planejamento estratégico deve dar origem a outros dois planos: o tático e o operacional.

O planejamento tático é aquele feito pelas gerências, com metas designadas para cada equipe de trabalho. Já o operacional é o plano feito para as próprias equipes (coordenação, supervisão etc.) e as metas, neste caso, devem ser individuais.

Com isso, o colaborador tem uma contribuição mais direta a dar para que a empresa atinja os seus resultados.

Para que isso fique mais claro, a partir do planejamento pode ser desenhado o mapa estratégico da organização. Esse mapa é uma representação gráfica da estratégia organizacional e mostra como cada meta poderá levar aos objetivos globais traçados pelos gestores da empresa.

Recompensa para os melhores

Para que haja efetividade no trabalho com as metas traçadas, é preciso estabelecer recompensas para os colaboradores e equipes que atingirem os objetivos. A grande questão é: que tipo de recompensa?

Há muita polêmica em relação ao estabelecimento de compensações em dinheiro por objetivos alcançados — principalmente em empresas que já possuam um programa estruturado de participação nos lucros e resultados.

Muitas vezes, a recompensa pode ser simbólica para a organização, mas terá muito valor para os colaboradores. Um reconhecimento público àqueles detentores dos melhores desempenhos, com ampla divulgação pode funcionar muito melhor do que prêmios financeiros.

A presença do corpo diretivo no momento de premiação também faz toda a diferença e pode gerar grande motivação no restante da equipe, que terá o desejo de viver a mesma experiência no futuro.

Acompanhamento constante

O desenvolvimento de uma metodologia de acompanhamento das metas é quase tão importante quanto o próprio estabelecimento dos números. Afinal de contas, de que adianta ter as metas se você não consegue mensurá-las.

Atualmente, um dos mecanismos de acompanhamento mais utilizados é o BSC (Balanced Scorecard). Trata-se de um sistema que traça uma série de indicadores para cada meta estipulada. Esses indicadores são passíveis de acompanhamento ao longo do ano, possibilitando que você tenha uma noção do percentual de evolução de cada uma das metas.

Desse modo, é possível agir preventivamente caso algum resultado pareça longe de ser atingido. Assim, o BSC é uma importante ferramenta de manutenção do planejamento nos trilhos programados desde o início.

É importante lembrar que o planejamento não deve ser modificado ao longo do ano, mas isso não quer dizer que ele seja imutável. Caso haja fatores externos que têm um grande impacto sobre o que foi programado, não há problemas em rever as estratégias.

Além disso, o caminho escolhido para atingir as metas pode se mostrar ineficiente ao longo da execução. O BSC fornece essa visão ampla sobre os processos, de modo a visualizar o problema antes que ele seja incontornável. Essa também é uma oportunidade para desenhar novas estratégias.

Líder como consultor

A liderança é um aspecto muito importante a ser tratado quando o assunto é produtividade. Afinal de contas, os líderes são os maiores influenciadores da equipe.

Ao contrário de antigamente, quando os líderes se limitavam a dar ordens gerais, os gestores atuais devem agir como consultores da equipe. Para tanto, é necessário estar disponível o tempo todo para ajudar a traçar estratégias, intervir em projetos complexos, oferecer feedbacks constantes e tomar a frente em decisões que podem definir os rumos de cada trabalho.

Como você viu, as metas de produtividade são fundamentais para que a sua empresa atinja bons resultados. Portanto, muito cuidado, muita atenção e não deixe de contar com uma metodologia para defini-las! Se quiser saber mais sobre boas práticas de gestão, continue acompanhando nosso blog. Até o próximo post.

2 thoughts on “Saiba como definir boas metas de produtividade para a sua equipe”

    • Douglas says:

      Olá Jhonnes,

      obrigado pelo contato. Nossa expectativa é que o conteúdo sobre “como definir boas metas de produtividade” tenha sido muito útil para você. Gostaríamos de indicar outros posts interesssantes:

      1- Saiba como fazer acompanhamento de metas no BackOffice!
      2- Conheça os 6 segredos da gestão de demandas em BackOffice

      Sobre sua dúvida a respeito de [O que acontece com o funcionário que não bater as metas do dia?], o fSense permite insights importantes que auxiliam nas tomadas de decisões para mudar esta realidade.

      Por meio dos prints de tela – chamados de screenshots no fSense – é possível identificar a performance do colaborador e como este tem utilizado seu tempo com as aplicações e sites em sua estação de trabalho. Através dos prints, o gestor pode propor planos de ações que melhorem os resultados do colaborador e de toda a equipe.

      Quer saber mais informações e detalhes sobre o fSense e suas aplicações para seu negócio?
      Solicite uma DEMO gratuitamente.

      Equipe fSense

Comments are closed.