Risk-based approach: o que é e como aplicar na sua empresa?

Risk-based approach: o que é e como aplicar na sua empresa?

Você já ouviu falar em risk-based approach? Essa metodologia é recente no Brasil, mas promete ser uma forte tendência para os próximos anos — especialmente em razão da valorização das técnicas de compliance. Como o tema ainda gera dúvidas em grande parte dos gestores e empreendedores, preparamos este conteúdo para esclarecer os principais pontos sobre a atuação focada na gestão de riscos.

Se você quer se informar melhor e aprender a colocar em prática essa abordagem em sua empresa, não deixe de ler o post até o final!

O que é risk-based approach?

Atualmente, as empresas estão se preocupando em desenvolver uma atuação mais ética e longe de riscos que podem comprometer seu funcionamento e sua reputação. Esse, aliás, é o cenário que contribuiu para que o risk-based approach — também conhecido como abordagem baseada em risco (ABR) — se desenvolvesse e se tornasse tão relevante no contexto corporativo.

De maneira resumida, trata-se de técnicas que contribuem para o combate à lavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo. Assim, as empresas devem trabalhar para que as medidas aplicadas sejam proporcionais aos riscos identificados e, portanto, efetivas.

Nesse sentido, os setores da economia que apresentam elevado risco, como as instituições financeiras e seguradoras, devem adotar métodos mais rígidos para administrá-los e mitigá-los. Por outro lado aqueles que apresentam um risco reduzido podem aplicar medidas simplificadas, desde que não haja suspeita de lavagem de dinheiro.

Como identificar se sua empresa precisa investir na abordagem baseada em riscos?

Desde que o compliance ganhou notoriedade no universo corporativo, os gestores e donos de negócios têm se preocupado em assegurar que os empreendimentos cresçam seguindo normas éticas e legais. Problemas como a lavagem de dinheiro e o financiamento do terrorismo são sérios e estão entre as prioridades de combate em todos os países.

Nesse contexto, a ABR traz muitos benefícios às empresas, afinal, essa abordagem mantém o foco na diminuição dos riscos a que as companhias estão expostas. Cada segmento do mercado possui vulnerabilidades, e o risk-based approach ajuda a identificá-las e neutralizá-las.

Por isso, é preciso atentar para os sinais que indicam que sua empresa está exposta a riscos e precisa adotar metodologias e estratégias mais efetivas para lidar com a situação. Acompanhe:

Falta de monitoramento de riscos

Não ter qualquer mecanismo para monitorar e controlar os riscos inerentes à atuação de sua empresa é um forte indício de que você precisa de ajuda e deve investir em ações que protejam seu patrimônio e imagem.

Necessidade de adequação às normas

Atuar em conformidade com a lei nem sempre é tão simples. Nosso ordenamento jurídico é vasto e complexo e, caso seu negócio esteja enfrentado dificuldades para cumprir com todas as normas, será preciso recorrer a uma ajuda especializada.

Alta incidência de multas e autuações

Ser fiscalizado e penalizado com frequência é, também, um forte sinal de que alguma providência precisa ser tomada. Fique atento ao histórico de multas e autuações recebidas pela empresa e não deixe que isso saia do controle.

Aumento de problemas relacionados a falhas em compliance

Se o empreendimento começa a enfrentar problemas em excesso devido a falhas no projeto de compliance, é porque os processos não estão sendo executados de maneira adequada. Assim, é necessário repensar estratégias e corrigir as falhas encontradas.

Como implementar uma abordagem baseada em riscos?

Após a leitura de todas essas informações, você deve ter percebido que ter uma atuação baseada na gestão de riscos é muito importante para o seu negócio e permite que ele se desenvolva longe de problemas com a Justiça. Mas colocar em prática o risk-based approach? A seguir, reunimos um pequeno passo a passo para que você obtenha êxito nesse processo. Continue com a leitura e fique atento às dicas:

Priorize atividades em áreas de alto risco

O primeiro passo é identificar as áreas de alto risco da empresa — e isso deve ser feito por meio de uma avaliação de risco. Para tanto, estabeleça os critérios a serem analisados e forneça pontuações para quantificar as vulnerabilidades e o impacto que a não conformidade nessas áreas pode gerar para a empresa.

Com esses dados em mãos, é possível priorizar os setores que estão mais expostos aos riscos e proteger o negócio de problemas de compliance.

Emita avisos e realize diagnósticos

Faça um esforço para realizar diagnósticos precisos e resumi-los em relatórios claros, objetivos e que contenham as metas, ações, responsabilidades e prazos bem determinados. Isso facilitará a emissão de avisos e comandos que motivam e engajam a equipe. É importante ressaltar que a transparência é a base de uma comunicação efetiva. A empresa que se esforça para incentivar esses preceitos em seu dia a dia está mais próxima de uma atuação ética e de acordo com a lei.

Execute uma avaliação de impacto e divulgue-a

Conhecer o impacto que uma gestão baseada em riscos traz à sua empresa — bem como os problemas relacionados a falhas em compliance — é muito importante para o sucesso de suas ações.

Lembrando que os procedimentos de controle interno estão ligados a políticas internas. Assim, ao integrar as mudanças de regulamentos com as políticas da empresa a que se referem, é mais fácil observar quais as áreas do negócio são mais impactadas e quais as ações devem ser tomadas.

As companhias que possuem dificuldade para realizar a avaliação de impacto das mudanças de conformidade e estimular os responsáveis a adotarem uma posição continuarão a enfrentar problemas com compliance, sofrendo com os riscos e com o alto custo desses gargalos.

Por tudo isso, o risk-based approach é uma tendência importante para o atual contexto do mercado brasileiro. Estar atento aos riscos e manter seu negócio longe de problemas — como a lavagem de dinheiro e o financiamento do terrorismo — é essencial para se destacar em meio aos concorrentes e manter a marca protegida das questões jurídicas e financeiras que uma atuação fora dos padrões éticos e legais podem causar. Por isso, caso ainda não adote essa metodologia, aproveite o conhecimento adquirido para implementá-la com sucesso!

O que achou deste material? Se ele contribuiu com a sua atualização profissional, não deixe de compartilhá-lo com seus colegas nas redes sociais!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>