Como a Inteligência Artificial pode ajudar no compliance?

Como a inteligência artificial pode ser aplicada ao compliance? Entenda essa relação e veja como implementar na sua organização. 

Você sabe como a inteligência artificial pode ajudar no compliance da sua empresa? Dentro das organizações, o compliance é um conjunto de normativos a fim de cumprir as regras, políticas e diretrizes que fazem sentido para o negócio. Assim, com essa política de compliance bem estruturada, é possível evitar falhas, detectar e tratar desvios antes mesmo que os problemas apareçam. 

Um estudo do Instituto Internacional de Finanças concluiu que as tecnologias de inteligência artificial e aprendizado de máquina facilitam as empresas a estarem em conformidade regulatória com mais eficiência do que as tecnologias existentes. 

Por isso, abaixo vamos te explica como a Inteligência Artificial pode ajudar nas questões de compliance. Confira!

O que é a IA?

Uma solução de inteligência artificial (IA) envolve várias tecnologias, como redes neurais artificiais, algoritmos e sistemas de aprendizado. Desse modo, eles conseguem simular capacidades humanas ligadas à inteligência. 

O uso de tecnologias de inteligência artificial (IA) cresceu de 32%, em 2018, para 48%, em 2020, na América Latina, segundo o Índice de Nível de Inovação e Crescimento IA (Inicia).  Assim, utilizar a inteligência artificial e seus recursos é essencial para qualquer empresa que deseja crescer e se manter atuante em um mercado cada vez mais disruptivo e inovador. 

Entretanto, a inteligência artificial vai muito além de adotar tecnologia e investir em automação mecânica. Ela também engloba processos cognitivos, que aumentam a capacidade de aprendizado das equipes que a utilizam. Diminuindo, assim, a realização de atividades repetitivas e manuais, facilitando, inclusive, nas tomadas de decisão. 

 A inteligência artificial aplicada ao compliance das empresas 

Seguir a ética e as normas vigentes não é apenas um princípio importante, mas uma obrigação de toda empresa. Assim, com essas ações, a organização se resguarda de possíveis problemas, além de proteger dados e informações de seus clientes, fornecedores e colaboradores. 

O compliance está em alta, principalmente com as novas legislações, como a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Contudo, manter as metas de compliance nem sempre é fácil. Primeiramente, é importante que os gestores vejam essas ações não como mera burocracia, mas sim como ferramentas de melhorias para a gestão. Ademais, é fundamental que toda a equipe discuta, revise e aperfeiçoe os pilares, para que os resultados realmente ajudem a organização. É nessa etapa que a inteligência artificial ganha destaque nos processos relacionados ao compliance.

O fSense, por exemplo, é um sistema de monitoramento de estações de trabalho. Assim, as empresas conseguem monitorar o uso dos computadores dos colaboradores. Além de ajudar no controle de produtividade, a ferramenta também ajuda na manutenção do compliance. Pois é possível prevenir falhas de segurança e vazamento de dados, com acesso às páginas acessadas e relatórios personalizados, identificando pontos críticos e resolvê-los. 

Ou seja, a ferramenta ajuda na mitigação de falsos positivos e erros humanos, destacando pontos cegos e outras falhas potenciais que um profissional pode não perceber em sua rotina.  Embora a aplicação de tecnologias em monitoramento e compliance ainda seja um tema novo, é inegável destacar a importância desses recursos para aprimorar a governança das empresas, reduzindo os riscos e também facilitando as tomadas de decisão. 

Gostou do nosso conteúdo? Já implementou essas ações na sua empresa? Deixe o comentário no post. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.