Microgerenciamento: o que é e por que você deve evitá-lo na sua empresa

O microgerenciamento é um modelo desatualizado de gerenciar, feito por gestores que monitoram o trabalho de suas equipes. Esse modelo tem como característica um controle abusivo e sem criatividade, já que é um processo burocrático e pode até deixar o gestor exausto, por ser um método feito de forma individual.

 

Mas o que é microgerenciamento?

Microgerenciamento é uma gestão feita por gestores de uma determinada empresa e que pode trazer péssimos resultados aos negócios.

Por se tratar de um método com cultura de cobranças em cima dos gestores, isso acaba afetando a forma de lidar com as equipes que não estão tendo um desempenho como deveria. 

O que acaba acarretando em ameaças sobre metas não batidas e outras que afetam resultados, o que gera desmotivação dos colaboradores.

Esse aborrecimento dos integrantes da equipe é um dos fatores que causam o aumento de rotatividade nas empresas, baixa frequência criativa e produtividade.

 

Como evitar o microgerenciamento em sua empresa?

Com a evolução da tecnologia, trabalhar com métodos como o microgerenciamento é um ponto importantíssimo a ser revisto na estratégia de seu negócio.

Hoje, já é possível ter acesso a cada máquina usada na empresa para gerenciar e monitorar a produtividade da equipe e a forma de trabalho de cada colaborador. Você pode acompanhar as atividades dos trabalhadores até mesmo em home office, por exemplo, identificar falhas de compliance e pode acompanhar tudo em tempo real.

Mesmo que você não esteja presente no escritório, ainda sim é possível acompanhar as atividades pelo seu smartphone.

Você já pode se livrar do método de microgerenciamento e começar a aumentar a produtividade da sua equipe e diminuir rotatividades e estresses diários. Acompanhe, monitore e gerencie o trabalho de forma ágil e criativa.

Comece agora mesmo um monitoramento gratuito no fsense. Você possui 15 dias  de free trial em até 10 máquinas de trabalho. 

 

Monitoramento transparente: como informar aos funcionários sobre o sistema de monitoramento das estações de trabalho?

Se você está sempre procurando maneiras de otimizar o gerenciamento da sua equipe e impulsionar a produtividade, com certeza já conhece as vantagens  do monitoramento das estações de trabalho, não é mesmo?

Mas já vimos muitas equipes de RH perderem o sono na hora de informar aos colaboradores que eles serão monitorados. 

Apesar de ser uma ferramenta essencial para aumentar a produtividade e também reconhecer o trabalho de cada colaborador, muita gente ainda fica com um pé atrás com essa tecnologia.   

Por não termos uma lei específica sobre o que pode ou não no horário de trabalho, cada empresa tem que encontrar uma forma de lidar com essas normas e restrições. E é aí que muitos gestores acabam se perdendo.  

Por isso, neste artigo vamos te dar dicas essenciais para sua empresa ser super transparente na hora de dar essa notícia aos colaboradores. 

4 dicas para te ajudar na hora de informar a sua equipe sobre o monitoramento das estações de trabalho

1 – Tenha todas as informações no contrato de trabalho

Você já ouviu aquele ditado “o que é combinado não sai caro”? 

Quando falamos em monitoramento das estações de trabalho, seguir essa regra pode te livrar de muitas dores de cabeça. 

Para que colaboradores e empresas estejam em comum acordo, é essencial que o contrato de trabalho, não só informe sobre o monitoramento, mas também deixe claro para os colaboradores o que pode ou não ser acessado de sua máquina durante o horário de trabalho. Afinal, para que o funcionário siga as normas, ele precisa ser avisado sobre todas elas.  

Para os colaboradores que assinaram o contrato de trabalho antes mesmo da empresa implantar uma ferramenta de monitoramento, vale também completar com um documento informando as novas normas. Assim, os colaboradores podem  assinar o documento declarando concordância com as condições. 

2 – Crie um manual de conduta da empresa 

É permitido entrar nas redes sociais? Ler uma notícia na internet? Tirar uns minutinhos para estudar? E ler aquela mensagem urgente que chegou da família? 

Todos esses pontos podem ser explicados detalhadamente em um manual de conduta para os colaboradores da sua empresa. 

Sabemos que às vezes entender todas aquelas cláusulas dos contratos de trabalho pode ser um pouco complicado. Já no manual é possível explicar cada uma das situações com uma linguagem que aproxime o RH aos colaboradores. 

Lembre-se de informar que o monitoramento existe, explicar como e quando ele é feito e também as consequências caso as normas não sejam seguidas. Assim não vai sobrar nenhuma dúvida! 

3 – Deixe claro que a privacidade do colaborador não será violada 

Esse com certeza é um dos principais receios dos colaboradores quando descobrem que suas máquinas serão monitoradas. 

Na teoria, é bem simples: se não é permitido realizar atividades pessoais nas máquinas de trabalho, não há como as empresas terem acesso à informações pessoais durante o monitoramento das estações de trabalho. Isso porque qualquer atividade monitorada é de total interesse da empresa! 

Mas na prática sabemos bem que, pela força do hábito, alguns colaboradores podem dar aquela espiadinha nas redes sociais, né? E nesse caso, ele também está infligindo o combinado em contrato. 

Por isso, o bom senso é sempre bem vindo! 

Nesse sentido, a empresa precisa garantir que usará o monitoramento apenas para se certificar de que o contrato de trabalho é cumprido, sem ferir os direitos dos funcionários,  causar problemas éticos, constrangimento à equipe ou desgaste no relacionamento com os colaboradores.

4 – Escolha uma ferramenta que está em em conformidade com as exigências da LGPD

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) estabelece que qualquer dado pessoal ou sensível, que for registrado, precisa ser avisado ao usuário. Os dados são classificados de duas formas:

  • Pessoais: aqueles como número de CPF, RG, e-mail, e que são relativos a pessoa jurídica.
  • Pessoais sensíveis: que são dados relacionados a opinião política, religião, saúde, dados genéticos, biométricos, etc.

Apesar de falar sobre a coleta dos dados, a LGPD não trata sobre o monitoramento das estações de trabalho, mas é sempre bom se resguardar para não ter problemas futuros. Por isso, na hora de escolher a melhor ferramenta para realizar o monitoramento das estações de trabalho da sua empresa, escolha uma plataforma que esteja em conformidade com as exigências da LGPD, assim como o fSense. 

Tenha a tecnologia como aliada para gerenciar a sua equipe 

Para tornar alguns processos ainda mais fáceis e rápidos, a plataforma do fSense é sua melhor escolha para apoiar na gestão!

Com a plataforma, você mensura a produtividade do seu time em home office, faz acompanhamento em tempo real, tudo em um dashboard prático e dinâmico. Além disso, conta com muito mais informações e dados para embasar os feedbacks para o seu time.

Quer ver todas essas vantagens na prática sem gastar nada?  Faça o teste da plataforma grátis por 14 dias, em até 10 computadores e comprove os benefícios para sua empresa.  

Hora extra no home office: entenda como funciona e saiba controlar

Desde o início da pandemia, muitas questões envolvendo jornadas de trabalho e o home office começaram a surgir entre empregadores e colaboradores. Uma delas, refere-se ao funcionamento da hora extra e sobre como controlá-la em meio a esse regime de trabalho remoto. 

Você já se perguntou como funciona a hora extra no home office? Saberia dizer como ou se é possível controlá-la? Essa pode ser a dúvida de muitos empresários e gestores, ainda mais diante de um cenário de dúvidas sobre onde podem se apoiar para regulamentar o funcionamento da hora extra. 

Neste artigo, vamos ampliar alguns conhecimentos sobre hora extra no trabalho remoto e apresentar sugestões de como regulamentá-la junto aos seus colaboradores. 

LEIA TAMBÉM: Metodologias ágeis: 5 práticas para apoiar a gestão de equipes remotas

Tele trabalho e home office: por que você precisa saber a diferença entre os dois?

Por não existir uma lei específica que propõe algo sobre jornadas de trabalho, cada empresa precisa chegar a um acordo com seus funcionários para definir algumas normas e restrições. Por isso, é importante que você, como gestor, consiga diferenciar o trabalho em domicílio (ou home office) do teletrabalho, uma vez que essa diferenciação vai pautar as discussões sobre como regular as horas extras.

O home office é definido como o trabalho que pode ser realizado na casa do colaborador ou em outro lugar de sua escolha. O teletrabalho, além disso, exige que o trabalho seja realizado com a ajuda de tecnologias de informação e comunicação. 

De qualquer forma, segundo a CLT, o empregado que trabalha presencialmente poderá migrar para o teletrabalho ou home office apenas se houver acordo com o empregador. 

Considerando a crise que a Covid-19 gerou e o atraso no calendário de vacinação pelo Ministério da Saúde, a Medida Provisória nº 927 passou a permitir que, enquanto o estado de calamidade pública durar, a migração do trabalho presencial para o teletrabalho possa acontecer por vontade unilateral do empregador, não sendo necessário o comum acordo.

LEIA TAMBÉM: 7 desafios de um gestor de equipes remotas e dicas para vencê-los

Sobre a jornada no teletrabalho e home office

Ao contrário do que acontece no trabalho presencial, no teletrabalho não existe a exigência do controle da jornada de trabalho. Dessa forma, o teletrabalhador fica sujeito a uma maior flexibilidade de horário. Nesse caso, ele não tem direito a receber horas extras. 

No entanto, se a empresa exercer controle sobre os horários de teletrabalho, em caso de ultrapassagem da jornada contratada, o trabalhador tem direito às horas extras. 

Durante o período em que o estado de calamidade pública continua em vigência, a MP 927 não só mantém esse cenário, como também define que o tempo de uso de aplicativos ou outros programas de comunicação, fora da jornada, não se configura como tempo à disposição do empregador, regime de prontidão ou de sobreaviso, se assim não for indicado em acordo individual ou coletivo.

Cabe ressaltar que os trabalhadores em regime de teletrabalho também podem ser inseridos na redução de trabalho e consequente diminuição de salário que está prevista na MP 936.

Mais recentemente, o Ministério Público do Trabalho (MPT) divulgou ainda a norma orientativa nº 17, a qual permite que os funcionários em home office recebam o direito ao controle de jornada e horas extras.

Como regulamentar a hora extra 

Na função de gestor de uma empresa, você deve estar atento às determinações do MPT e as Medidas Provisórias para seguir as medidas e recomendações a serem adotadas em sua empresa. Na Nota Técnica nº 17, o órgão sugere aos empregadores a adoção de um termo aditivo ao contrato de trabalho por escrito, tratando as deliberações sobre a duração do contrato, a responsabilidade e a infraestrutura para o trabalho remoto, assim como o reembolso, pelo empregador, das despesas atribuídas ao trabalho em casa.

Outra sugestão que é feita no documento, fala sobre a adoção de “etiquetas digitais”, com a especificação de horários para atendimento de demandas, assegurando repousos legais e o direito à desconexão, o qual permite que o seu colaborador se desligue das atividades laborais e não esteja sempre disponível para a empresa.

Uma ótima alternativa para você, gestor, que deseja otimizar esses processos que são um pouco mais burocráticos, e facilitar o controle e a manutenção das jornadas de trabalho dos seus colaboradores, é utilizar a plataforma fSense

Com ela você consegue definir, junto aos seus funcionários, como será o regime de trabalho remoto e ainda recebe dados em tempo real sobre a produtividade do seu time e o rendimento da sua empresa. Faça o teste da plataforma grátis por 14 dias, em até 10 computadores e comprove os benefícios.

Como contornar os gaps de produtividade no contact center | fSense

Como contornar os gaps de produtividade no contact center

Os serviços de contact center estão cada vez mais necessários em um mundo conectado. Os consumidores e clientes esperam ser atendidos quase instantaneamente pelas suas empresas preferidas, sejam nos serviços de streaming, que se popularizaram nos últimos anos, ou nos bancos e operadores de internet e telefone.

O fato é que ter um contact center que atenda às necessidades dos clientes mais exigentes se tornou uma obrigação para os grandes players do mercado, ainda mais para aquelas empresas que desejam ser competitivas.

Neste artigo, vamos conversar sobre como o serviço é fundamental para o posicionamento da sua empresa no mercado e para a percepção positiva da marca. Além disso, temos algumas dicas sobre quais passos são mais recomendados para quem deseja contornar os gaps de produtividade do time de contact center, rendendo bons resultados para a empresa. Interessou pelo tema? Continue a leitura!

Como funciona o contact center?

Para entender mais a fundo sobre o tema, vamos começar explicando a diferença entre o contact center e o tradicional serviço de telemarketing.

O modelo do contact center está pautado em um atendimento ágil, moderno, com uma variedade de canais, que podem ser por telefone, redes sociais e chats. Muito diferente do tradicional telemarketing, em que os operadores pareciam robôs repetindo mensagens programadas. A ideia é que o contact center seja um serviço de extrema qualidade e que facilite o contato entre empresa e o consumidor.

Mas, existem alguns desafios neste serviço, até para as empresas que já passaram pela transformação digital. Isso fica ainda mais evidente com as adaptações que foram necessárias por conta da pandemia da covid-19. A implementação do home office em todo o mundo foi acelerada.

Ações para vencer os gaps de produtividade

O aumento da produtividade é um grande desafio para todas as empresas, em especial as de contact center. É comum que, no cotidiano de trabalho, existam pequenos gaps. Mas como vencê-los?

Temos algumas dicas valiosas para você contornar esses pontos que geram ociosidade ou perda de engajamento, melhorando o rendimento do time e o relacionamento com o cliente. Confira só!

1. Diminua o tempo de cada interação

É importante entender que os clientes estão cada vez com menos tempo e paciência para resolver problemas relacionados à prestação de serviços. Por isso, reduzir o tempo de atendimento melhora a produtividade do time e a satisfação do consumidor. Procure gaps nos seus processos, que podem ser tecnológicos ou operacionais, e tente corrigi-los.

2. Pense em formas de motivar seus colaboradores

O colaborador é tão importante quanto os seus processos. É ele quem realizará o contato com o consumidor, dessa forma, ter uma equipe motivada e que atenda com excelência faz toda a diferença no resultado final. Algumas alternativas são utilizadas para isso, pense em programas de incentivo internos e planos de carreira. Também é interessante oferecer treinamentos e capacitações.

3. Retenha talentos e diminua a rotatividade

Você já deve saber que contratar um novo colaborador custa mais caro do que capacitar e investir nos que já estão na sua empresa, não é mesmo? Pois é, reter os talentos de contact center pode ser muito lucrativo para sua empresa! Além de não precisar treinar um profissional novamente, gastando recursos financeiros e tempo, você implementa uma cultura de desenvolvimento profissional, que vai gerar retornos para o seu negócio.

4. Forneça feedbacks

Os feedbacks são instrumentos poderosos para o crescimento profissional. Quando o colaborador cresce, quem também ganha é sua empresa, que passa a contar com profissionais qualificados e preparados para lidar com diversas situações. Por isso, fornecer feedbacks em uma conversa sincera pode revelar onde estão os gaps de produtividade, melhorando o desempenho do colaborador de contact center.

5. Utilize ferramentas para apoiar a sua gestão

O home office é uma realidade, principalmente para as atividades que podem ser desempenhadas remotamente, como é o caso do contact center. Algumas ferramentas são extremamente úteis no acompanhamento desse tipo de trabalho, como é o caso do fSense, onde o gestor tem acesso a jornada de trabalho, que facilita a gestão dos times.

Que tal uma ferramenta que oferece dados concretos sobre a produtividade?

Viu só como dá pra transformar o engajamento do seu time com diversas ações práticas? Ter informações e retornos ajudam muito a incentivar a produtividade.

É com esse intuito que o fSense foi desenvolvido! Com essa plataforma, você pode acompanhar o uso das máquinas em tempo real e avaliar quais são os principais gaps no rendimento do seu time.

Os relatórios completos facilitam o trabalho do gestor na hora de dar feedbacks, ajudando a entender os desafios do seu time e a embasar a tomada de decisão.

Quer experimentar? Aproveite os 14 dias de teste gratuitos agora! Você pode instalar em até 10 máquinas gratuitamente.

Monitoramento de funcionários pode ser aliado ao crescimento profissional

Monitoramento de funcionários pode ser aliado ao crescimento profissional

A tendência dos últimos anos sobre o crescimento do trabalho home office se consolidou com a pandemia da covid-19. Com isso, surgem novas discussões sobre as formas de trabalho e as particularidades que a modalidade traz consigo. Entre elas, está o monitoramento de funcionários, tema que ganha cada vez mais espaço nas empresas.

Alguns pontos como a privacidade dos colaboradores, a relevância do monitoramento de funcionários e como aliá-los ao crescimento profissional têm sido muito discutidos. Neste artigo, vamos te contar como o monitoramento pode ser feito de forma responsável e saudável, sem invadir a intimidade dos colaboradores e como utilizá-lo para ajudar no crescimento profissional.

Se interessou pelo tema e quer saber mais? Então continue a leitura!

O crescimento do home office

Aqui no blog já falamos sobre como o trabalho remoto conquistou espaço no mercado nos últimos anos. Segundo uma pesquisa da Fundação Getúlio Vargas, a modalidade irá crescer cerca de 30% somente em 2021, superando as expectativas mais otimistas. Muitas empresas brasileiras adotaram o modelo de trabalho no ano passado e novas vão aderir nos próximos anos, seguindo uma tendência mundial na transformação das relações trabalhistas.

Para as empresas que trabalham com o regime de home office, como fica o monitoramento? Ele é permitido pela lei trabalhista? E quais são os direitos do colaborador em relação aos seus dados? Para responder essas questões, precisamos falar sobre a Lei Geral de Proteção de Dados, que entrará em vigor agora em 2021.

O que diz a Lei Geral de Proteção de Dados?

A LGPD nº 13.709, de 2018, diz sobre o tratamento dos dados pessoais coletados na internet, e isso serve também para o monitoramento de home office. Segundo a Lei, todo dado que for coletado por empresas no ambiente digital precisa ser consentido pelo usuário. Dessa forma, a empresa que realizar o monitoramento deve informar aos colaboradores por qual razão os dados serão coletados e por quanto tempo ficarão guardados.

Como as ferramentas de monitoramento são utilizadas?

Atualmente existem diversas ferramentas que realizam o monitoramento e registram o que é acessado pelo colaborador durante a jornada de trabalho. A ferramenta do fSense registra dados que não são pessoais, seguindo as diretrizes da LGPD.

Essa captura de informações é feita com as aplicações de páginas que o usuário acessou e por quanto tempo permaneceu nelas. Por exemplo, se o colaborador utiliza o WhatsApp, a ferramenta não registra o conteúdo das conversas, mas sim o tempo em que o usuário permaneceu na página.

Existem também planos do fSense que contemplam a captura de telas. Neste contexto, como existe o risco de serem registradas informações pessoais e sensíveis, a empresa deve deixar claro para os colaboradores sobre essa possibilidade, mostrando também como esses dados serão tratados e armazenados.

Como o monitoramento pode ajudar no crescimento profissional?

Agora que você já conhece as particularidades do home office, nada melhor do que entender como o monitoramento pode ajudar no crescimento profissional. Vamos lá?

O monitoramento permite que, durante o horário de trabalho, sejam coletados dados. Depois de analisados, estes dados geram informações e insights que servirão de norte para traçar estratégias e melhorar o desempenho dos colaboradores.

Com essas informações em mãos, é mais fácil realizar feedbacks, que são preciosos para o desenvolvimento pessoal, auxiliando o colaborador a entender como está o seu desempenho e quais skills precisam ser adquiridas ou aperfeiçoadas.

A análise dos dados permite também entender os gaps de produtividade dos colaboradores, identificando falhas nos processos de trabalho. Além disso, é possível também traçar um plano de crescimento profissional.

O apoio que você precisa para acompanhar a produtividade do seu time

É necessário se adaptar à nova rotina! E para tornar alguns processos ainda mais fáceis e rápidos, a plataforma do fSense é sua melhor escolha para apoiar na gestão!

Com a plataforma, você mensura a produtividade do seu time home office, faz acompanhamento em tempo real, tudo em um dashboard prático e dinâmico. Além disso, conta com muito mais informações e dados para embasar os feedbacks para o seu time.

Além disso, como vimos aqui, a plataforma está em conformidade com as exigências da LGPD, o que também é muito importante para sua empresa.

E tem boa notícia! Você pode fazer o teste da plataforma grátis por 14 dias, em até 10 computadores. Faça seu cadastro e comece a usar o fSense também!

Como o RH pode estimular o engajamento e a produtividade na empresa

Como o RH pode estimular o engajamento e a produtividade na empresa

Realizar ações para melhorar o engajamento e produção dos colaboradores, pode ser uma tarefa bastante difícil para um profissional de RH. Esse é um dos objetivos internos de grande parte das empresas e, ainda assim, pode ser considerado um desafio quando colocado em prática. Hoje vamos falar um pouco sobre como o RH pode fazer para estimular o engajamento e a produtividade na empresa para obter o sucesso na gestão e, consequentemente, nos resultados da empresa como um todo. Continue a leitura com a gente!

Por que o engajamento e produtividade na empresa são fatores tão importantes?

Possuir uma equipe engajada, disposta a se dedicar, se envolver e a produzir mais e melhor, contribui diretamente para o crescimento de uma empresa. Quando os colaboradores se sentem motivados, satisfeitos em suas funções e se identificam com os valores da empresa, eles irão se comprometer automaticamente e, assim, se tornarão profissionais que buscam melhorar cada vez mais.

É uma via de mão dupla em que o colaborador almeja a melhoria constante, atuando em uma empresa que oferece oportunidades e chances de crescimento.

Um colabora com o outro e ambos crescem juntos! Mas você, como responsável pelo setor de RH da sua empresa, pode estar se perguntando: como posso melhorar e estimular ainda mais esses dois aspectos e aplicar na minha equipe na prática? A gente te dá uma mãozinha com algumas dicas que podem fazer toda diferença na sua gestão. Vamos falar mais sobre elas?

LEIA TAMBÉM: Planejamento 2021: coloque a gestão de produtividade em pauta!

Alinhamento de valores: empresa x funcionário

Uma das formas de fortalecer o vínculo de um funcionário com a empresa, é estabelecendo um alinhamento de valores em comum.

Esse tipo de posicionamento não consta em um contrato oficial, porém é importante que seja desenvolvido com uma aproximação emocional do colaborador com a empresa, para que o engajamento e a produtividade possam começar a florescer no ambiente de trabalho.

Desenvolvendo esse elo é possível contar com uma postura mais dinâmica por parte do funcionário, que acaba trabalhando de forma mais proativa, otimista e desempenhando suas tarefas com excelência.

Crie espaço para as oportunidades e plano de carreira

O engajamento e a produtividade de um colaborador também dependem de como ele se sente dentro da empresa, como executa suas habilidades e quais são suas chances de crescimento propostas ali. Por exemplo, um funcionário que tem a oportunidade de utilizar suas habilidades e é estimulado a aperfeiçoá-las, será um colaborador mais envolvido e disposto. Ao contrário disso, ele se sentirá desvalorizado e sem perspectivas de crescimento, o que poderá resultar em um desgaste e uma desmotivação que não serão positivos na hora de desempenhar sua função.

É essencial, então, que a empresa deixe claras as oportunidades oferecidas e converse sobre o plano de carreira. Faça uma análise junto ao colaborador e realize questionamentos como: o atual cargo destaca seus pontos fortes? E suas habilidades? Estão sendo valorizadas no que ele faz? Pra qual direção sua carreira está tomando?

Faça um mapeamento dentro da companhia e apoie as metas para que haja uma promoção, por exemplo. Dar atenção a esse tipo de detalhe, faz toda diferença e motiva o funcionário a buscar melhorias em seu desempenho profissional.

Ouvidoria: escute o que o seu funcionário tem a dizer

Uma empresa que oferece atendimento ao público interno, com certeza sai na frente das outras. O diálogo é cada vez mais valorizado e melhora o desempenho das funções dos colaboradores. Para isso, a criação de uma Ouvidoria para escutar o que os colaboradores têm a dizer, pode ser um grande diferencial. Quando um funcionário sente que a empresa está disposta a escutá-lo e se preocupa com suas necessidades e eventuais problemas, ele se sente acolhido, valorizado e que pode contar com a organização.

Além disso, o setor de ouvidoria também pode conter um espaço voltado especialmente para casos mais graves, como denúncias ou abusos, por exemplo.

Aplique a cultura de feedback

Além do espaço para a Ouvidoria, é importante investir na aplicação do feedback com a sua equipe. Sendo aplicada de maneira correta, essa prática ajuda o colaborador a andar lado a lado da empresa, a entender como está sendo seu desempenho e quais pontos devem ser melhorados. Isso gera transparência e otimiza o relacionamento entre a organização e cada funcionário, melhorando, assim, seu desempenho, produtividade e engajamento.

Recompensas são sempre bem-vindas

Trabalhadores que são recompensados pelo seu desempenho, se sentem valorizados e percebem que seu esforço foi reconhecido, ficam mais satisfeitos e se dedicam mais ao trabalho. A valorização do trabalho bem feito é um fator-chave e pode estimular seu funcionário a se empenhar ainda mais.

Para isso, é importante agradecer regularmente pelos seus esforços, criar recompensas, premiações, gamificação ou até mesmo simples elogios no dia a dia. Tudo isso ajuda o colaborador a impulsionar sua performance no trabalho.

Você também pode separar um tempo para comemorar metas atingidas e entregas de sucesso, ou um happy hour semanal para estreitar o relacionamento. Não é preciso fazer celebrações extravagantes para fazer com que os funcionários entendam que estão sendo reconhecidos pela organização.

Pessoas: centro da cultura empresarial

A empresa precisa entender que, as pessoas que fazem tudo funcionar, são o patrimônio do empreendimento. A organização deve colher os benefícios de uma equipe engajada e isso pode significar entender que o funcionário possui uma vida pessoal lá fora. Por isso, a empresa deve incentivar seu time a equilibrar o trabalho e os momentos de lazer. Tente considerar iniciativas que permitam que os funcionários equilibrem sua vida fora do escritório de forma mais leve e fácil — permitindo flexibilidade de horários ou aplicando o tão falado home office, por exemplo.

Mostre que a empresa valoriza esse equilíbrio e faça com que todos sejam ouvidos, propondo um ambiente de trabalho mais agradável, feito de pessoas. Isso ajuda muito na hora de melhorar o engajamento e a produtividade na empresa.

SAIBA MAIS: Cultura de feedback: home office também pode se beneficiar dessa mindset!

Aplique as dicas e acompanhe a produtividade do seu time de perto

Viu só como é possível aplicar ações práticas que estimulem o engajamento e a produtividade do seu time no dia a dia?

Colocando todas essas dicas em prática, você pode precisar de uma ferramenta para monitorar o resultado dessa produtividade. E é aí, que a plataforma do fSense entra como sua melhor aliada! Com ela você consegue acompanhar o uso das máquinas em tempo real, avaliar os resultados, gaps e rendimento de seu time, em um só lugar.

Tudo isso facilita na hora de saber se as suas ações estão sendo aplicadas e gerando resultados de fato. Não é ótimo?

Mas não para por aí! O melhor de tudo isso é que você pode experimentar a ferramenta do fSense por 14 dias grátis, com instalação em até 10 máquinas.

Planejamento 2021: coloque a gestão de produtividade em pauta! | fSense

Planejamento 2021: coloque a gestão de produtividade em pauta!

Fim de ano nas empresas sempre é repleto de indicações do que acontecerá no ano seguinte. No entanto, é preciso que todas as ações estejam organizadas e alinhadas para atingir os objetivos da empresa. Está na hora de começar o planejamento 2021.

A função do planejamento é orientar as ações antecipadamente com a visualização de todo o processo. Com a continuidade das atividades determinada e detalhada.

2020 foi um ano repleto de desafios e mudanças repentinas, não é mesmo? A pandemia do novo coronavírus foi o grande evento que mudou nossa rotina de trabalho e exigiu muitas adaptações num curto período de tempo. O home office se tornou a regra para muitas empresas.

É normal que mudanças sejam feitas no trajeto. Mas temos certeza que as empresas que possuíam um planejamento estruturado conseguiram adaptar suas ações e organizar seu rumo com muito mais facilidade.

Seu planejamento para o ano que vem deve prever também estratégias para a produtividade do seu time. Quer entender melhor o que considerar? Vem com a gente!

O que seu planejamento 2021 de gestão de produtividade precisa ter

Para começar 2021 com o pé direito, é preciso fazer um planejamento completo, detalhando o maior número de tópicos. Veja algumas das nossas dicas:

Descreva o cenário atual

Apresentar o cenário atual é importante para identificar como está funcionando atualmente. Assim, fica mais fácil determinar o porquê das ações que serão detalhadas no planejamento, além de servirem de comparativo ao longo do ano.

Pense em separar em listas: o que necessita ser mantido, o que deve ser melhorado, o que precisa ser mudado e o que tem que ser excluído.

LEIA TAMBÉM: Comunicação síncrona x comunicação assíncrona – entenda a diferença e como aproveitar mais no dia a dia do seu time!

Estabeleça um cronograma de ações

Agora é hora de montar um cronograma, listando todas ações que devem ser realizadas ao longo do ano.

Coloque o período de duração, as pessoas envolvidas e o objetivo. Adeque a realidade da sua empresa e inclua as atividades planejadas focadas na produtividade do seu time.

Não esqueça do endomarketing

Funcionários motivados são mais produtivos. Parece que é óbvio, mas é o que muitas pesquisas mostram, como um estudo da Universidade da Califórnia.

Por isso, o endomarketing é uma área fundamental para continuar motivando e engajando o seu time.

No seu planejamento, aproveite datas comemorativas, aniversários e eventos como happy hour com certa frequência. Assim, sempre haverá atividades para sair da rotina do trabalho e aproximar o seu time.

Estabeleça metas reais

As metas são muitos importantes para incentivar o crescimento do negócio e da sua equipe. No entanto, é importante estabelecer objetivos realistas e atingíveis.

Se as metas são muito altas e o funcionário, mesmo se dedicando bastante, não consegue atingi-las, isso o deixará desmotivado. Portanto, é melhor trabalhar com objetivos que desafiem sua equipe, mas que ainda estejam dentro da sua capacidade. Trabalhe em conjunto com seu time para alcançar os propósitos.

Gere feedbacks construtivos

Sempre falamos aqui no blog sobre a importância dos feedbacks. É uma ferramenta de gestão extremamente útil, mas que acaba gerando resultados negativos quando o gestor ou RH não aplica corretamente.

O seu colaborador precisa sentir e saber o que acontece ao seu redor. Quando a empresa transmite os sinais para que ele possa crescer e se desenvolver como profissional, ele entende como tudo funciona, o que pode melhorar, mudar, como pode evoluir dali pra frente.

Por isso, seja claro, empático, reforce pontos positivos e seja propositivo para sanar os pontos negativos em conjunto.

Utilize plataformas para apoiar a sua gestão de produtividade

A tecnologia deve ser sua aliada para facilitar a gestão de produtividade do seu time. Essas métricas são muito importantes, tanto para acompanhar o colaborador quanto para garantir o caminho rumo às metas atingidas.

Por isso, apresente para os seus colaboradores informações para ajudar no processo de melhoria contínua. Incentive-os a aceitar esses dados para auxiliar no seu crescimento profissional.

CONHEÇA: 5 práticas de metodologias ágeis para apoiar a gestão de equipes

O fSense é a ferramenta ideal para acompanhar a produtividade do seu time

Para ter métricas reais sobre a produtividade do seu time, fSense é a ferramenta que você precisa! Com essa plataforma, você pode acompanhar o uso das máquinas em tempo real e avaliar quais são os principais gaps no rendimento do seu time.

Com relatórios completos, o fSense facilita o trabalho do gestor na hora de dar feedbacks, entender os desafios do seu time e embasar a tomada de decisão.

Quer experimentar agora? Aproveite 14 dias de teste gratuito! Instale em até 10 máquinas.