blank

Como o fSense funciona para operações de cobrança?

Empresas que trabalham com operações de cobrança devem ter o maior cuidado com informações de clientes e parceiros.

Além disso, é essencial assegurar a eficiência na administração e treinar os atendentes para não ocorrer erros durante o período de trabalho.

E, seja em home office, trabalho híbrido ou presencial, é importante que empresas com operações de cobrança monitorem as máquinas utilizadas pelas equipes de trabalho.

Assim, é possível proteger os dados, analisar a produtividade da equipe e fazer uma gestão eficiente.

Quer saber mais sobre esse assunto? Continue lendo o artigo abaixo.

Como um sistema de monitoramento de computadores pode ajudar operações de cobrança?

Operações que mexem com dados e com equipes que fazem atendimento ao cliente devem sempre se preocupar com a proteção desses dados e também com a produtividade dos seus colaboradores.

Por isso, sistemas de monitoramento de computadores, como o fSense são importantes para a operação.

Por exemplo, o fSense é um software de monitoramento de computadores onde é possível acompanhar as atividades dos colaboradores, fazer a gestão eficiente do rendimento das equipes, identificar falhas que estão impedindo sua empresa de estar em conformidade com as normas e outros benefícios.

Além disso, o gestor consegue acompanhar a equipe em tempo real e ter acesso imediato a insights valiosos que podem auxiliar na gestão da operação.

Como o fSense funciona para operações de cobrança?

Como dizemos acima, o fSense te ajuda em 4 questões essenciais para operações de cobrança, são elas: 

Gestão eficiente

O fSense faz registros contínuos das atividades das estações de trabalho monitoradas em tempo real e organiza as informações em um dashboard prático.

Desse modo, seu gestor tem todo o controle da operação, consegue identificar gargalos e remanejar a demanda, se necessário, para que o sucesso da operação seja concluído.

Produtividade em foco

Manter a equipe produtiva não é uma tarefa fácil, mas é possível, principalmente quando se conta com a ajuda de um software de monitoramento de estações de trabalho.

Desse modo, quanto mais proativo seu colaborador for, quanto mais ele dar o seu melhor e renegociar dívidas, por exemplo, o seu desempenho trará lucros e excelentes resultados para sua empresa.

Por isso, o fSense mensura o rendimento das suas equipes de maneira precisa e te ajuda em ações corretivas para assim, cumprir as metas da sua empresa.

Proteção de dados

O fSense monitora o uso da rede e registra o acesso a sites e aplicações não aprovadas pela empresa. Ou seja, o software monitora de forma prática e precisa as estações de trabalho por questões de compliance e segurança. 

Ou seja, nós te ajudamos na questão de compliance identificando as falhas que impedem sua empresa de estar em conformidade com as normas.

Análise da equipe

Analisar a sua equipe e entender o processo de cada um e como eles trabalham individualmente e coletivamente também é importante para que eles desempenham funções as quais eles são bons e dominam.

Desse modo, o fSense te ajuda a identificar hábitos, comportamentos e necessidades individuais e coletivas da sua equipe para que você consiga traçar esse perfil e manter seu colaborador motivado, produtivo e engajado.

Posso testar a plataforma do fSense para ver como funciona na prática?

Sim! O fSense possibilita usar o software por 14 dias em até 10 máquinas. E, é super fácil. 

Basta clicar aqui e fazer sua conta.

Se você estiver com dúvidas de como instalar o arquivo executável nas máquinas da sua empresa, acesse o guia do usuário.

Bom, agora que você conhece o fSense e como testar o software, siga a gente no Instagram!

blank

Saiba como evitar problemas de compliance no home office

Estar alinhado às diretrizes fiscais, de legislação, TI e outros setores é fundamental para se obter sucesso atualmente e não ter problemas de compliance na sua empresa.

Por isso, separamos algumas dicas para você colocar em prática as regras de compliance na sua empresa e fugir de problemas como: fraudes, vazamento de dados e afins.

Confira!

Como evitar os problemas de compliance e colocá-lo em prática?

Para evitar problemas é necessário elaborar com a sua equipe um código de conduta com linguagem acessível e disseminar para os colaboradores a importância dos padrões estabelecidos e como eles devem seguir com o código.

Desse modo, identifique comportamentos que podem comprometer a saúde da empresa e padronize táticas para reduzir esses riscos e até mesmo aumentar resultados diários da equipe.

Assim, para monitorar o andamento dos processos no time e melhorar a produtividade, mesmo em home office, acompanhar em tempo real o desenvolvimento da equipe é uma estratégia para melhorar os resultados da empresa. 

Ou seja, com compliance você pode fazer isso de forma correta em conformidade com as regras e legislações. 

Compliance x Home office

O compliance envolve códigos, políticas, procedimentos, formulários ou relatórios.

Para evitar problemas de compliance no home office, é necessário que processos internos sejam revisados, para garantir estabilidade e controle dos atos internos da organização. Para isso, você pode monitorar a equipe com o fSense e ter um registro completo das ações de cada colaborador.

O fSense é um software de monitoramento de computadores para empresas que é seu aliado na gestão eficente da produtividade das equipes trabalho. Além disso, a ferramenta monitora o uso da rede e registra o acesso a sites e aplicações não aprovado pela empresa.

Portanto, com procedimentos objetivos, você consegue monitorar de forma prática e acessível à atuação de todas as áreas da empresa.

Clique aqui e faça já um teste de 14 dias gratuito para monitorar até 10 máquinas na sua empresa e veja como o resultado será surpreendente, mesmo em home office.

blank

5 passos para melhorar a produtividade no trabalho híbrido

O trabalho híbrido é um modelo de alternar as formas de trabalho, sendo presencial e online, com a estrutura home office.

Desse modo, adotar esse estilo de trabalho tem sido cada vez mais tendência no mundo e há empresas que irão adotar essa forma híbrida de trabalho de modo vitalício.

Pensando nisso, separamos 5 passos para você melhorar a produtividade no trabalho híbrido da sua empresa.

Dê feedbacks frequentes no trabalho híbrido

Para acompanhar o processo dos colaboradores e incentivá-los a continuar fazendo um bom trabalho, dar feedbacks frequentes são essenciais.

Pois, uma vez que você consegue monitorar a equipe e ser específico em cada ponto a ser melhorado ou continuado, seus resultados serão cada vez mais efetivos.

Analise a produtividade

Saber como está indo o trabalho da equipe é essencial para provocar mudanças que estejam impedindo o crescimento da produtividade.

Por isso, negar acessos a sites que não fazem parte do conteúdo de trabalho provocando a perda do foco e aumento da produtividade é uma questão que pode ser resolvida.

Faça a união do mundo físico e digital no trabalho híbrido

Para trabalhar com ambas as formas é necessário que elas tenham sinergia. Portanto, faça com que sua equipe se adeque no home office e produza da mesma forma quanto em sua empresa física.

Ou seja, permita a relação de parceria entre os colaboradores e invista no espaço que eles irão trabalhar em suas residências, fornecendo o mesmo equipamento da empresa e uma boa conexão.

Faça a gestão em tempo real

Você sabia que é possível monitorar em tempo real as atividades dos seus colaboradores e ter insights valiosos, que irão te auxiliar na gestão com equipe e produtividade? Sim!

Com o fSense é assim! O software de dá acesso às máquinas de cada usuário e, assim, fica prático monitorar o empenho de cada colaborador, avaliar comportamentos, ver o nível de produtividade e ter insights de como resolver os gargalos da operação.

Tenha eficiência operacional

Use a inteligência de dados como diferença estratégica em sua empresa para aumentar a produtividade.

Com fSense instalado ele fornece dados precisos que serão valiosos para tomadas de decisões assertivas e seguras na equipe para melhorias e cada vez mais resultados e qualidade.

Clique e teste o fSense por 14 dias gratuitos! 

Relatórios qualitativos e quantitativos: você sabe fazê-los de maneira correta?

Relatórios qualitativos e quantitativos: você sabe fazê-los de maneira correta?

Para uma gestão eficiente, é inegável que os dados são fundamentais. Eles é que vão nortear as melhores decisões da empresa. E, para isso, é claro que os relatórios também são essenciais. Afinal, eles são os responsáveis por apresentar, da melhor maneira, esses dados.

Portanto, os relatórios são indispensáveis para o acompanhamento dos resultados da empresa, para entender a gestão de maneira abrangente e, sobretudo, para servirem como referência para planos de ação que levem a empresa a alcançar novas metas.

Para esses objetivos, existem dois tipos básicos de relatórios: quantitativos e qualitativos. Ambos são importantes para qualquer que seja o segmento da empresa, mas atendem a necessidades diferentes. Neste artigo, trouxemos as principais diferenças entre eles para te ajudar a fazê-los de maneira correta na sua empresa.

Relatórios qualitativos x relatórios quantitativos: quais são as diferenças?

De maneira geral, os relatórios qualitativos abordam aspectos mais amplos, enquanto os relatórios quantitativos ficam restritos a uma análise de números.

Por exemplo, um relatório qualitativo de vendas aponta qual é a preferência dos clientes em relação a modelos ou cores, qual o estado ou região do país com maior volume de compras, quais itens foram comprados juntos e assim por diante. Enquanto isso, um relatório quantitativo de vendas aponta a quantidade de itens vendidos e o faturamento total.

Mais uma vez, é extremamente importante ter em mente que não há relatórios mais ou menos importantes. Cada um atende a uma finalidade.

Para que servem os relatórios qualitativos?

O relatório qualitativo tem perfil mais analítico e proporciona uma visão ampla da situação. A elaboração dele é mais complexa, exige mais tempo e, por isso, não é ideal para ser feita diariamente. Ao mesmo tempo, porém, é o recurso mais interessante para entender os detalhes do desempenho da empresa.

Voltando ao nosso exemplo de um relatório de vendas, imagine que o faturamento permanece estável de um mês para o outro. À primeira vista, tudo está bem, mas, por meio de um relatório qualitativo, é possível identificar que determinado grupo de clientes parou de comprar, enquanto outro triplicou o ticket médio. Essa modificação no comportamento do consumidor, embora não seja visível à superfície, exige uma mudança na estratégia de marketing e vendas da empresa.

Para que servem os relatórios quantitativos?

O relatório quantitativo é ideal para quando o gestor precisa de uma visão rápida sobre a situação do negócio. Ele não exige muito esforço de interpretação. Traz, de maneira clara e objetiva, os números que interessam para a área da empresa que se deseja analisar.

No exemplo do relatório de vendas, se o faturamento de determinado mês é R$ 500 mil e o mês seguinte é R$ 100 mil, é fácil dizer que alguma coisa está errada.

Esse não é um exemplo muito realista, porque, normalmente, os relatórios quantitativos são usados para um acompanhamento minucioso do desempenho do negócio, com intervalo de tempo bem menor.

Por exemplo, muitas empresas fazem um levantamento diário das vendas, justamente para identificar quedas de um dia para o outro. Isso permite que os gestores tomem uma atitude de imediato, em vez de esperarem um relatório do final do mês para tomar uma providência.

Por que os relatórios qualitativos e quantitativos são importantes?

Para elaborar relatórios estratégicos, o gestor deve, antes, estabelecer os indicadores tanto qualitativos quanto quantitativos. Indicadores são os dados numéricos que medem entradas e saídas, desempenho dos processos, fluxos de informações, entre outros. A partir desses indicadores é que é possível construir relatórios para avaliar e orientar as equipes.

Os indicadores são formas de demonstrar o estágio de eficiência (uso dos recursos para atender as necessidades) e eficácia (execução correta das tarefas para atingir metas) alcançado.

Podem ser usados indicadores para medir o desempenho da equipe quanto a comportamentos, percepções, reações, evolução, nível de satisfação, índice de absenteísmo (faltas ao trabalho), rotatividade (turn over), horas de treinamento, entre outros. Há também indicadores para avaliar os clientes: as reações, o comportamento, as reclamações e o nível de satisfação. E há ainda os relacionados ao mercado e à organização.

Conheça alguns indicadores que podem ser utilizados nos seus relatórios:

Indicadores qualitativos

• Número de oportunidades de melhorias identificadas/ligações;
• Quantidade de aspectos que necessitam de aperfeiçoamento;
• Horas necessárias de treinamento por profissional;
• Número de metas que alcançaram sucesso/número de metas planejadas (durante um determinado período de tempo).

Indicadores quantitativos

• Volume de vendas;
• Produtividade dos colaboradores;
• Quantidade de tarefas diárias;
• Número de contatos realizados e recebidos.

Para escolher os indicadores a serem analisados, a empresa precisa observar quais dados são importantes para o negócio. No caso de colaboradores que trabalham no modelo home office, por exemplo, o indicador de produtividade é importantíssimo. Isso poque é mais difícil medir o desempenho deles por não estarem no espaço físico da empresa.

Já para uma operação de cobrança, o volume de recuperação de crédito é um indicador indispensável. Afinal, esse é o principal objetivo que ela precisa cumprir.

O relatório também é importante para a análise das exigências de compliance estabelecidas pela empresa. É por meio do relatório que o negócio é capaz de saber se os colaboradores estão cumprindo as regras para manter a empresa em conformidade com as normas do setor.

Como elaborar os relatórios qualitativos e os relatórios quantitativos?

Siga essas 5 dicas para elaborar relatórios qualitativos e quantitativos de maneira correta.

1. Use dados de qualidade

Você não pode confiar em um relatório elaborado a partir de dados sem precisão. Se as informações não são relevantes, o relatório também não é útil para a sua tomada de decisão.

Além disso, se os dados não são claros e bem organizados, tentar usá-los vai consumir muito tempo e prejudicar a sua produtividade. Resumindo, dados de qualidade são essenciais para elaborar relatórios de maneira correta.

2. Comece pela visão macro

Macro e micro são dois termos muito usados no meio corporativo. O primeiro refere-se a uma análise geral, enquanto o segundo refere-se à análise detalhada.

Cuidado para não cair na armadilha de desenvolver todos os seus relatórios a partir de uma visão micro, ou seja, colocando tudo no microscópio. Isso não é viável a longo e médio prazos. Afinal, sua equipe desenvolve muitas atividades. Você precisaria de colaboradores dedicados somente para desenvolver relatórios e conseguir manter esse ritmo.

Em vez disso, comece seu relatório a partir de uma visão geral. Depois, faça a análise micro apenas nos pontos mais relevantes para a atividade gerencial.

3. Use recursos visuais

Relatórios com muito texto e números são cansativos. Se você, eventualmente, tiver que apresentá-los a outras pessoas – como o restante do quadro de gestão ou os acionistas da empresa e possíveis investidores –, esse tipo de relatório não vai causar um bom impacto.

Então, é importante dosar os elementos. Sempre que possível, procure usar recursos com maior apelo visual. Isso inclui gráficos, tabelas e mapas, por exemplo, que facilitam a compreensão. Quanto ao texto, tente ser o mais objetivo e conciso.

Vale a pena lembrar, ainda, que o relatório gerencial deve ter uma estrutura bem organizada. Divida o texto em seções para facilitar a leitura.

Você pode criar uma introdução, também conhecida como sumário executivo, apresentando os dados que serão analisados, e uma conclusão, demonstrando o que foi percebido em relação ao desempenho da empresa.

4. Recorra a relatórios anteriores

Nunca descarte um relatório elaborado. Esse mesmo documento será muito útil, quando, algum tempo depois, for preciso analisar novamente o desempenho da empresa em relação aos mesmos fatores.

Imagine que você quer avaliar a evolução do BackOffice na empresa. Comparar o tempo médio de atendimento hoje com aquele de um ano atrás permite identificar as decisões e as práticas que deram certo ou não, os problemas que já foram resolvidos, os novos problemas que surgiram, entre outros fatores.

Também é um forte argumento para mostrar aos stakeholders do negócio que você tem promovido ações concretas de melhoria ao longo do tempo.

De qualquer maneira, é muito mais fácil realizar essa comparação quando você tem o relatório completo do ano anterior, em vez de resgatar dados antigos e analisá-los novamente.

Portanto, salve cada relatório elaborado em uma pasta e guarde esses arquivos. Com o tempo, eles serão úteis.

5. Conte com ferramentas tecnológicas

No passado, coletar dados era um processo manual. Hoje, é possível contar com ferramentas tecnológicas capazes de coletar informações sobre qualquer atividade dentro da empresa: vendas, marketing, finanças, produção, backoffice.

Dessa forma, cabe ao gestor somente o papel estratégico da análise, que conta com todos os dados necessário já organizados pela ferramenta. É o caso do fSense, que coleta dados de todas as atividades que o colaborador realiza em sua estação de trabalho. Assim, o gestor tem acesso a informações que o permitem identificar quanto tempo o colaborador dedica ao trabalho e quanto tempo ele deixa para atividades pessoais, quais sites ele acessa, se cumpre ou não as regras de segurança da informação estabelecidas pela empresa, entre outros dados relevantes para a elaboração do relatório.

Para conhecer todas as funcionalidades do fSense e entender como ele pode fornecer dados relevantes para os relatórios da sua empresa, leia o artigo “fSense: como usar e quais os principais benefícios”.

blank

Reuniões produtivas

7 dicas para reuniões de equipe mais produtivas

Muitos concordariam que um dos maiores ladrões de tempo são as reuniões. E, por outro lado, elas não podem ser completamente descartadas da rotina de trabalho. Mas existem, sim, formas de conduzir reuniões produtivas, que agregam valor e não desperdiçam tempo.

Desde que as pessoas se tornaram o centro da organização, no mundo corporativo, produtividade tornou-se um tema muito mais complexo. Afinal, pessoas não são máquinas; não basta apertar um botão para aumentar a velocidade, por exemplo.

Então, como fazer com que sua equipe trabalhe mais e melhor? Uma boa resposta é descobrir onde normalmente perde-se tempo e otimizar essas atividades.

Nós vamos apresentar sete dicas para realizar essa proeza; então, confira!

Continue reading

Levantamento de necessidades de treinamento

Levantamento de necessidades de treinamento: saiba como fazer!

Dizer que treinamentos são importantes dentro de uma empresa é, simplesmente, reforçar o óbvio. Eles impactam os resultados do negócio e viabilizam o desenvolvimento de talentos. Por outro lado, existe um assunto que muitas vezes nem chega a ser discutido: em quais capacitações para sua equipe você deve investir?

Para definir uma resposta, o segredo está em fazer um bom levantamento de necessidades de treinamento. Não sabe como? Então, prepare-se para aprender!

Continue reading

Desktop-Analytics-desenvolvimento-equipes

Saiba como o desktop analytics vai desenvolver a sua equipe

Um bom gestor está sempre em busca de novos recursos e métodos para desenvolver sua equipe. Você, certamente, se enquadra nessa descrição e talvez já tenha ouvido falar em desktop analytics. Porém, será que sabe, exatamente, o que é essa tecnologia e como ela pode ajudar na melhoria do desempenho dos seus colaboradores?

Se a sua resposta foi não, fique conosco, pois este artigo traz tudo o que você precisa saber sobre essa ferramenta. Continue a leitura e confira!

Continue reading

pesquisa-de-satisfacao-de-colaboradores

Pesquisa de satisfação de colaboradores: saiba como colocar em prática

Você, provavelmente, já leu muitos textos aqui no blog do fSense sobre a importância de manter seus colaboradores com um alto nível de satisfação e motivação. E, certamente, também já viu nossas dicas sobre como fazer isso. Mas, então, esbarramos em outra questão: como saber se os colaboradores estão (ou não) satisfeitos? Como acompanhar o sucesso dessas ações?

É aí que entra a pesquisa de satisfação de colaboradores. Neste post, vamos explicar o que é, qual é o peso de tal pesquisa no sucesso de uma equipe e, claro, como aplicá-la na prática. Boa leitura!

Continue reading

desenvolvimento-de-talentos

Desenvolvimento de talentos: 9 passos para o gestor de equipes

Todos os resultados de uma organização são obtidos por meio do trabalho das pessoas. Por esse motivo, elas são consideradas o principal ativo das companhias. No entanto, para obter a alta performance da equipe, é necessário investir no desenvolvimento de talentos.

Ao mesmo tempo em que as pessoas são fundamentais para uma empresa alcançar suas metas, lidar com recursos humanos é desafiador.

No dia a dia, o gestor de uma equipe se depara com uma série de situações que exigem habilidade para solucionar os problemas imediatos. Porém, para evitar essas ocorrências, ele precisa implementar medidas estratégicas para sua prevenção.

Quer saber como um gerente pode desenvolver os talentos do seu time e liderá-los para alcançar resultados extraordinários? Então, este post foi feito para ajudá-lo. Nele você descobrirá quais são os principais desafios da gestão de talentos e os passos para contratar e desenvolver uma equipe campeã.

Pronto para começar?

Continue reading

6-dicas-para-criar-boas-campanhas-motivacionais-para-a-sua-equipe

6 dicas para criar boas campanhas motivacionais para a sua equipe

Manter a motivação e o engajamento dos colaboradores é essencial para que as empresas tenham uma ótima produtividade e alcancem os melhores resultados perante a concorrência.

No artigo de hoje, você vai entender a importância das campanhas motivacionais e conhecer seis dicas que vão ajudá-lo a construir boas experiências junto à equipe.

Ficou interessado? Continue a leitura e tire todas as suas dúvidas sobre como motivar o seu time.

Continue reading