LGPD e Segurança da Informação: como aplicar na sua empresa?

Como aprimorar o compliance da sua empresa? Veja a importância da LGDP e Segurança da Informação.

Primeiramente, devemos esclarecer a relação entre LGPD e segurança da informação. A Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais foi promulgada em 2018 para regulamentar o tratamento de dados pessoais, dispostos em meio físico ou digital, por pessoa física ou jurídica de direito público ou privado. 

A edição dessa norma obriga instituições e agentes a adotarem medidas técnicas e boas práticas de segurança. Assim é possível assegurar a privacidade e a proteção dos dados pessoais que se têm em mãos. Aqui, já percebemos a presença da segurança da informação.

A segurança da informação é requisito obrigatório para o cumprimento das determinações previstas na LGPD. O mau gerenciamento de determinados dados pode acarretar em sérias implicações no compliance da empresa.

Veja, a seguir, a importância da aplicação da LGPD e da segurança da informação.

O que é segurança da informação e qual a sua importância?

Você sabia que o prejuízo causado pelos crimes cibernéticos chega a valores astronômicos?  Espera-se que, o dano para a economia global, anualmente, até 2025, seja de US $10,5 trilhões, segundo a Cybersecurity Ventures. Essa perda é muito maior do que estragos causados por algum desastre natural. Ou do que a soma do lucro obtido pelo comércio de todas as drogas ilegais.

Agora que você já entendeu a relevância do tema, entenda melhor o conceito de segurança da informação. Segundo a portaria GSI/PR nº 93, de 26 de setembro de 2019, ela compreende ações que objetivam viabilizar e assegurar a disponibilidade, a integridade, a confidencialidade e a autenticidade das informações.

Assim, vimos que, além de adequações obrigatórias para seguir a LGPD, o devido investimento em segurança pode apoiar a governança. E, também diminuir o risco de perda financeira da empresa.

O que é a LGPD e sua importância? 

Como já foi falado por aqui, a LGPD é a lei brasileira que estabelece diversas obrigações e controles que devem ser implementados pelas empresas que lidam com dados pessoais. Sua criação foi feita após a promulgação da General Data Protection Regulation (Regulamento Geral de Proteção de Dados) na Europa. Pode parecer que a legislação é mais uma medida burocrática capaz de dificultar ou atrapalhar a gestão de uma empresa. Mas na verdade ela traz segurança para todos os envolvidos e respalda as organizações. 

A regulamentação na manipulação e compartilhamento de dados se fez necessária pela quantidade de dados sensíveis que as empresas controlam hoje em dia. 

No primeiro momento, seu objetivo é garantir a privacidade, a transparência, padronizar as normas e estabelecer a segurança jurídica. No entanto, todas essas medidas adotadas, diretamente, fortalecem a segurança da informação. Contribuindo, inclusive, com a diminuição de risco de danos financeiros e também com o aumento da compliance das empresas.

LGPD e segurança da informação: como aplicar?

Para seguir as regras da LGPD e segurança da informação, é preciso investir em tecnologias e ações que levem segurança para a equipe de colaboradores. Além de dar visibilidade aos dados aos gestores.

O vazamento de dados pode acarretar em prejuízos para a empresa. Como: advertência, multa, publicização da infração, bloqueio ou eliminação dos dados pessoais comprometidos, suspensão ou proibição das atividades desse tipo. 

Portanto, para evitar esse tipo de problema, além de investir em cópias seguras dos dados e em ferramentas de prevenção contra ameaças, a empresa também deve se atentar à conscientização de segurança para os colaboradores. Assim como o controle no acesso e compartilhamento desses dados. 

Nesse ponto, contar com sistemas que facilitem políticas de autenticação e supervisão no acesso às informações são fundamentais. Dessa modo, é possível garantir a reputação do seu negócio, principalmente em tempos de equipes em home-office. 

Afinal, é preciso que os gestores tenham conhecimento sobre as atividades dos usuários em sua estação de trabalho para aprimorar o monitoramento e garantir a governança da segurança da informação

O sistema fSense, por exemplo, oferece a possibilidade de monitoramento de computadores, dando visibilidade aos sites acessados, ações executadas e rotina de trabalho. Portanto, em caso de vazamento, é mais fácil identificar de onde veio a falha. 

Gostou do conteúdo? Assine a nossa newsletter e mantenha sempre atualizado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.