5 ferramentas que todo desenvolvedor deve conhecer

Como melhorar a produtividade no trabalho? Saiba que alguns frameworks podem ajudar. Confira algumas ferramentas que todo desenvolvedor deve conhecer. 

Atualmente, existem diversas ferramentas para aumentar a produtividade no trabalho. No caso dos desenvolvedores, é preciso abrir muitas abas e aplicativos ao mesmo tempo e isso pode deixar o computador lento ou as ações improdutivas. 

Dessa forma, contar com os recursos certos é fundamental para ser mais produtivo e assertivo nas ações. Pensando nisso, desenvolvemos um conteúdo com 5 ferramentas que todo desenvolvedor deve conhecer.  

5 ferramentas que todo desenvolvedor deve conhecer

Conhecer um bom conjunto de frameworks é fundamental para manter os projetos em dia. Desse modo, separamos  5 ferramentas que todo desenvolvedor deve conhecer e que podem ajudar na produtividade e organização. Confira.

1- Terminator 

É comum que desenvolvedores rodem servidores em outros terminais. Além disso, também é preciso executar demais tarefas em outros terminais.

Nesse caso, ao invés de ter diversas abas abertas simultaneamente, o Terminator pode ser a solução. Assim, com ele, é possível abrir vários terminais em uma única tela, podendo ver o que está acontecendo a todo momento em cada uma delas. Isso traz mais produtividade e celeridade para as ações. 

2- GitLab e Github 

O GitLab e o Github são plataformas de hospedagem de código-fonte. Ou seja, elas permitem que os desenvolvedores contribuam em projetos privados ou open source.‍

Dessa forma, uma das principais funcionalidades que difere uma plataforma da outra, é o foco que o Gitlab vem dando à integração com ferramentas de DevOps. 

Pois, o Gitlab proporciona, nativamente, ferramentas de integração e entrega contínua ou CI/CD. Além de métricas para acompanhamento de qualidade de código, performance e teste de usabilidade. Como também, permite que os desenvolvedores armazenem o código em seus próprios servidores, ao invés de servidores de terceiros, além dos repositórios serem gratuitos. 

3- DbDesigner

Como você modela os seus bancos de dados? Essa ferramenta é uma excelente opção para quem utiliza qualquer banco de dados, principalmente MySQL, Oracle, MSSQL e PostgreSQL.

Pois, ele é uma ferramenta CASE (Computer-Aided Software Engineering), livre e utilizada para a modelagem de dados visual que está disponível sob a licença GNU General Public License (GLP). Assim, ao invés de desenhar no papel o modelo de como você imagina que seu banco de dados, essa ferramenta online pode ajudar a modelar tabelas, integrando várias ações em um mesmo ambiente. 

4- Code Climate

Como você avalia a qualidade do código que cria? Com o Code Climate, é possível automatizar essa função. A ferramenta de análise estática de qualidade de código consegue analisar todo o código procurando por problemas de duplicação, code smells e outros problemas variados.

Além disso, ele é gratuito para projetos open source, sendo uma excelente ferramenta que ajuda na criação de códigos com mais qualidade.

5- Franz 

Para desenvolvedores que utilizam muitos aplicativos de mensagem, aqui vai uma dica de integrador. O Franz é uma ferramenta que agrega todas as redes, como WhatsApp, Messenger, Telegram, Linkedin, Twitter, Slack em um só lugar. Permitindo responder e gerenciar todas as mensagens de um único programa, sem a necessidade de deixar várias abas abertas. 

Portanto, ao utilizar frameworks como esses, é possível melhorar a qualidade do serviço entregue, otimizando o tempo e canalizando a energia para as ações que realmente importam. 

Se você gostou deste conteúdo e quer conferir mais dicas de produtividade, acesse o post

Falhas na operação de trabalho: Veja como o fSense pode ajudar a identificá-las

Mitigar as falhas na operação de trabalho é a melhor alternativa para reduzir custos e garantir a segurança da operação. Conheça o fSense. 

As falhas na operação de trabalho podem causar sérios prejuízos para empresa. Em se tratando de falhas em processos, a melhor solução é sempre prevenir do que remediar. 

De acordo com o Sebrae, cerca de 25% das companhias abertas no país não sobrevivem ao segundo ano. 

Dentre os motivos que levam ao fracasso estão a má gestão, como falta de planejamento das ações e investimentos para desenvolver o negócio. 

Evitar as falhas nas operações é algo indispensável para que a empresa possa crescer, tornando-se mais produtiva, diminuindo custos e fazendo o uso inteligente dos recursos. 

Nesse sentido, é fundamental que a gestão consiga identificar as falhas para corrigi-las. 

O que são as falhas na operação de trabalho? 

De maneira geral, as falhas na operação de trabalho são os erros e gargalos de todo o tipo que podem ocorrer dentro da organização. E, que geram algum tipo de dano ou perda. As perdas, nem sempre, serão monetárias, mas podem se tornar de tempo, de equipe ou ações/produtos mal feitos. 

Além disso, vale a pena ressaltar que essas falhas não se referem apenas aos erros humanos. Eles também podem ser erros de sistema, defeitos na tecnologia ou falhas que não podem ser controladas pelo colaborador. 

Sobre os riscos que a empresa corre, eles podem ser enquadrados como falhas, que são erros corriqueiros e pontuais. 

Deficiências de processo, que estão ligados a falta de algum item para o bom andamento das ações ou as inadequações, que são erros profundos e, por vezes, que ocorrem há tempos, podendo fazer parte do processo. Mas que impedem que a operação se desenvolva em plenitude.

Como o fSense ajuda a identificar falhas operacionais? 

Anualmente, as empresas perdem milhões de dólares ao redor do mundo por causa de interrupções em suas linhas de produção ou de atendimento ao cliente. Isso decorre de erros que podem ser desde o que está sendo feito até uso de processos desatualizados e pouca visibilidade das ações realizadas.

Mas como identificar problemas na empresa e identificar ações de melhorias na gestão de processos? Com o fSense, é possível fazer o monitoramento dos computadores dos colaboradores, identificando falhas e erros. O software instalado na máquina da empresa consegue fazer registros contínuos das atividades. Além de, organizar as informações coletadas de todos os computadores em um dashboard único para o gestor. 

O sistema também registra o histórico de uso e traz capturas de tela. Assim, é possível tirar insights valiosos sobre a produtividade de cada um. 

Além disso, com o sistema é possível intensificar as ações de segurança e compliance. Verificando se toda a equipe cumpre os requisitos sugeridos para manter a segurança dos dados e dos equipamentos da empresa. 

Com o sistema, seja no modelo presencial ou a distância, o gestor consegue analisar informações importantes para evitar falhas na operação de trabalho.

E, você, já conhecia essa alternativa? Para entender melhor como o fSense funciona, confira nossos planos disponíveis no nosso site.  

blank

Monitoramento da jornada de trabalho: a importância de um software de gestão

Como realizar um bom monitoramento da jornada de trabalho dos colaboradores? Entenda a importância dos dados e veja como um software de gestão ajuda! 

Qual a importância do monitoramento da jornada de trabalho? Um levantamento do escritório de advocacia LG&P, especializado em Direito Empresarial, apontou que aumentou em 34% o volume de processos trabalhistas durante a pandemia de Covid-19. 

Dentre os principais motivos estavam o pedido de hora extra e desvio ou acúmulo de função. No caso de hora extra, os processos ultrapassam 2 milhões, com somas em torno de R$ 220 bilhões. Já no caso de acúmulo ou desvio de função, são 168 mil processos, que somam R$ 21 bilhões. 

Analisando as informações, é possível perceber que caso houvesse o monitoramento da jornada de trabalho, seria possível diminuir o número de ações trabalhistas contra os empregadores. 

A importância de um software de monitoramento da jornada de trabalho 

O monitoramento da jornada de trabalho é fundamental para resguardar a segurança da empresa e o direito dos trabalhadores. Na legislação trabalhista, não há nenhum artigo que discorra sobre a prática, por isso, as empresas se resguardam utilizando a Constituição Federal e a jurisprudência. 

Atualmente, várias formas já são utilizadas dentro das empresas para o monitoramento. O ponto eletrônico, por exemplo, é uma das maneiras de dar visibilidade a hora que o colaborador entra, sai e faz pausa para refeição. Esse controle garante que toda a jornada está sendo cumprida e, quando houver necessidade de hora extra, o direito seja contabilizado e pago.

Além disso, as câmeras também são permitidas e usadas em ambientes físicos — exceto em banheiros e vestiários — para resguardar a segurança do patrimônio.

Contudo, com a pandemia e um novo modelo de trabalho se consolidando, muitas empresas se viram perdidas no monitoramento dos seus colaboradores. Ao migrar para o modelo home office, muitos gestores perderam a visibilidade do trabalho executado e do que o funcionário estava fazendo.

Nesse sentido, utilizar soluções tecnológicas é uma alternativa para melhorar a gestão de equipes, compreender a produtividade de cada um e resolver gargalos operacionais. 

fSense: o sistema de monitoramento de computadores 

Com softwares específicos de monitoramento, como o fSense, é possível ter controle e acesso às informações relativas à jornada de trabalho.  Ou seja, indo além das informações passadas pelo ponto eletrônico, por exemplo, que mostra o horário de entrada e saída, um software de monitoramento instalado no computador da empresa, ajuda a entender quanto tempo o colaborador passa em cada atividade e como está sua produtividade.

Assim, uma das vantagens de utilizar esses sistemas é o aumento da produtividade da equipe. Afinal, não há como mensurar e readequar o desenvolvimento dos colaboradores senão for por meio de um monitoramento. Além disso, é com ajuda desses sistemas que os gestores podem premiar os melhores funcionários e desenvolver aqueles com dificuldade. 

Outro benefício é a manutenção do compliance e segurança dos dados, como é possível verificar os acessos, facilmente encontra-se o colaborador que não seguiu as regras de segurança, prejudicando a empresa e suas informações.

Além disso, usando o fSense é possível bloquear a estação de trabalho do colaborador que ultrapassar o horário da jornada. Reduzindo, assim, o número de horas extras.

Vale ressaltar que a empresa precisa ser transparente e deve informar ao colaborador sobre as políticas internas adotadas, descrevendo como o monitoramento é feito. O funcionário também precisa dar aceite às regras firmando o aceite em contrato, para que no futuro o trabalhador não questione a empresa.

Portanto, ao realizar o monitoramento da jornada de trabalho, é possível aumentar os resultados e promover segurança. Com os dados em mãos, o gestor pode construir feedbacks mais robustos e melhorar o engajamento do seu time. Além do mais, esses dados e a guarda do histórico são fundamentais para resguardar a empresa de possíveis processos trabalhistas. 

Se você gostou desse conteúdo e quer conferir outras dicas, siga-nos no LinkedIn e Instagram e não perca nenhuma publicação.

blank

Novas regras para home office: o que muda com a nova medida?

O que uma empresa precisa saber com as novas regras para home office? Confira o que muda e como é a vigência das novas normas. 

Como ficam as novas regras para o home office? No dia 28/03, o governo federal publicou duas medidas provisórias (MP) referentes ao teletrabalho. O modelo de trabalho, que está em vigor desde o início da pandemia, teve alteração no texto e adição de algumas regras para a modalidade. 

Desse modo, entre as principais mudanças estão: as diferenças entre jornada por produção e contrato por jornada, a forma de controle em cada jornada e o modelo também poderá ser aplicado a aprendizes e estagiários. Por serem Medidas Provisórias, as mudanças já estão em vigor e valem por, no máximo quatro meses, tendo caráter definitivo apenas após aprovação do Congresso. 

Quais são as novas regras para o home office?

 A principal mudança no texto versa sobre o home office, especificamente sobre o modelo híbrido. Nesses casos, o fato de o trabalhador ir ao local de trabalho em algum momento não descaracteriza o teletrabalho. Com a mudança da redação, a lei traz “considera-se teletrabalho ou trabalho remoto a prestação de serviços fora das dependências do empregador, de maneira preponderante ou não, com a utilização de tecnologias de informação e de comunicação, que, por sua natureza, não se configure como trabalho externo”.

Outra norma também define as regras ao teletrabalhador que passa a residir em local diferente do qual foi contratado. Pois, antes da revisão, a lei não permitia que o teletrabalho pudesse ser feito de forma alternada ou em local diferente de onde a empresa fica. Agora, no caso do teletrabalho, vale a legislação de onde o trabalhador celebrou o contrato. Assim, para o colaborador, ele é livre para se deslocar, inclusive, para outro país. Já no caso de quem trabalha no Brasil para uma empresa no exterior, deve ser seguido a legislação trabalhista brasileira. 

Em relação aos contratos por produção, não será aplicado as normas da CLT que tratam da duração do trabalho e que prevê controle de jornada. Assim, no caso de cargos em que não é exigido o controle de ponto, o trabalhador pode exercer suas tarefas na hora que quiser. Já no contrato por jornada, a MP permite o controle remoto pelo empregador, viabilizando o pagamento de hora extra e descontos, se for necessário. Por fim, a nova regra também admite que aprendizes e estagiários sejam contratados nesse modelo. 

A regra estabelece ainda que os empregadores precisarão dar prioridade para a concessão do teletrabalho para empregados que tenham algum tipo de deficiência ou filhos e crianças sob guarda judicial de até quatro anos de idade. 

Outras mudanças realizadas com a MP 

Com as alterações, há a exigência que “a prestação de serviços na modalidade de teletrabalho ou trabalho remoto conste expressamente no contrato individual de trabalho”. Além disso, as mudanças da MP também atingem as regras do auxílio-alimentação e têm como objetivo garantir que os recursos sejam efetivamente utilizados para adquirir gêneros alimentícios. A norma visa garantir que o benefício seja utilizado para a compra de alimentos e também proíbe a cobrança de taxas na contratação dos fornecedores.

Em relação às férias individuais, o texto estabelece que, em situações de calamidade pública, como a pandemia, o empregador precisará informar o empregado sobre a antecipação das férias com uma antecedência de pelo menos 48 horas. Deve ainda indicar o período de descanso, que não pode ser inferior a cinco dias corridos. Será possível negociar a antecipação de períodos futuros de férias, mas apenas por meio de contrato individual escrito.

Por fim, caso o empregado tenha recebido equipamentos da empresa para realizar o home office, incluindo softwares, máquinas e ferramentas digitais, o tempo de uso delas fora da jornada de trabalho não pode ser configurado como um regime de sobreaviso ou prontidão para trabalhar. A menos que haja previsão em acordo individual ou coletivo. 

Portanto, com as novas regras do home office, será possível que o setor RH das empresas e colaboradores tenham clareza sobre as mudanças, adequando contratos e acordos às prescrições legais. Se você se interessou por esse assunto, pode gostar também desse texto sobre 8 problemas trabalhistas mais comuns.

blank

7 motivos para o setor de RH da sua empresa usar o fSense

Pensar de forma estratégica no setor de RH da sua empresa é uma forma de trazer os colaboradores para perto e também manter a produtividade do time. 

Dessa forma, pensar em formas de investir e inovar em Recursos Humanos pode ser o passo que a sua empresa precisa.

Por isso, o fSense, um software de monitoramento de estações de trabalho pode ser uma excelente opção para aliar o RH a equipe pensando na manutenção da produtividade, gestão eficiente e até mesmo questões de compliance.

Quer saber mais 7 motivos para usar o fSense na sua empresa? Continue lendo este artigo!

1 – O fSense proporciona uma gestão eficiente das estações de trabalho

Uma gestão eficiente é o passo para lucrar mais. Isso porque, se os gestores conseguem visualizar como andam as demandas, as metas são cumpridas e a produtividade da equipe está alta, tudo isso é consequência de uma boa gestão.

Mas com o trabalho remoto e até mesmo híbrido ficou mais difícil monitorar e alcançar alguns resultados. Por isso, o fSense faz registros contínuos das atividades das estações de trabalho monitoradas e organiza as informações em um dashboard simples e completo.

Assim, o gestor tem todo o controle da operação, consegue identificar gargalos e remanejar a demanda para que o sucesso da operação seja concluído. E, consequentemente, o gestor tendo acesso a esses dados, juntamente com o RH da empresa várias outras medidas podem ser tomadas de forma assertiva.

2 – Com o fSense a produtividade é o foco

Manter a equipe produtiva não é uma tarefa fácil, mas é possível. E, quanto mais produtivo seu colaborador for, quanto mais ele vestir a camisa da empresa e dar o seu melhor, o desempenho dele trará lucros e excelentes resultados para a empresa.

E, vale lembrar que a produtividade da equipe não é só “problema” do gestor, não! O RH deve saber porque aquele colaborador não anda produtivo e conversar com o gestor para resolver essa situação. Seja com um feedback ou com atividades e conversas.

Mas, como saber se o colaborador está desmotivado e improdutivo? O fSense pode ajudar. Com o registro contínuo dos computadores e a mensuração da produtividade das equipes, o fSense consegue captar dados e insights valiosos para os gestores e RH. 

Dessa forma, dá para saber quando sua equipe está desmotivada e planejar quais medidas tomar para reverter a situação.

3 – Proteção de dados

Um dos temas em alta nos setores de RH das empresas é a proteção de dados. Desse modo, o fSense monitora o uso da rede e registra o acesso a sites e aplicações não aprovadas pela empresa. 

Ou seja, o nosso software monitora de forma prática e precisa as estações de trabalho por questões de compliance e segurança, por exemplo. 

Assim, com a ajuda do fSense fica mais fácil lidar com essas questões e proteger os dados da sua empresa.

4 – Análise da equipe

Analisar a sua equipe e entender o processo de cada um e como eles trabalham individualmente e coletivamente também é importante. Pois assim, fica fácil definir as funções que cada um é bom e domina.  

Desse modo, o fSense ajuda a identificar hábitos, comportamentos e necessidades individuais e coletivas da sua equipe. Assim, é possível traçar os perfis e manter seus colaboradores motivados, produtivos e engajados!

5 –  O fSense é um grande aliado na otimização dos processos do setor de RH

A otimização dos processos do RH é fundamental. E, ela se faz possível com a inclusão de softwares no setor, como fSense.

Ou seja, um sistema automatizado facilita o acesso a informações importantes, de forma rápida e eficaz. Ajudando, assim, a identificar hábitos, comportamentos e necessidades da equipe. 

Desse modo, é possível fazer uma gestão mais personalizada, reter talentos, estabelecer metas e diminuir o turnover. 

Por isso, a inclusão deste tipo de tecnologia ao RH é de grande relevância para toda a evolução da empresa. Pois, é através de ferramentas, como o fSense, que os setores conseguem visualizar as informações obtidas em forma de dashboards práticos e intuitivos. E, assim, conseguem otimizar processos e atividades internas.

6 – Registros em Home Office

O home office veio para ficar em várias empresas no Brasil e no mundo. E, com a ajuda do fSense, é possível monitorar atividades possibilitando a:

  •  Identificação de erros, 
  • Retrabalhos, 
  • Necessidades individuais dos funcionários; 
  • Taxa de frequência; 
  • Ocorrências que podem estar impedindo a conformidade dos trabalhos com as normas da empresa.

Ou seja, com o fSense, mesmo em home office o RH e os gestores conseguem saber o que acontece com as demandas e com a jornada de trabalho. 

Logo, as melhorias nos processos influenciam positivamente na produtividade, pois proporcionam mais eficácia no trabalho de toda equipe. 

Dessa forma, os gestores ficam mais próximos dos colaboradores através da análise dos dados disponibilizados, o que consequentemente, leva a uma redução de custos por parte da empresa.

Além dos benefícios já citados, o fSense também possibilita ao RH a contratação de profissionais que estejam de acordo com as necessidades específicas de cada equipe da empresa. Tornando possível que elas tenham maior sintonia e um alinhamento ideal dos trabalhos a serem realizados.

7 – Controle de Jornada 

Realizar o controle da jornada de trabalho é um dos desafios do setor de RH, pois deve-se contar com um sistema de ponto muito eficiente. Mas mesmo assim, as horas extras sempre aparecem e o tempo ocioso também.

Desse modo, manter esse controle sob a jornada de trabalho do colaborador, é uma forma de facilitar a gestão de pessoas e pode livrar a sua empresa de problemas trabalhistas, além de garantir a redução de custos. 

Assim, com a ajuda do fSense é possível monitorar a entrada e saída do colaborador, gerando menos horas extras e também analisar a produtividade e motivação da equipe.

Desse modo, você garante, não só uma economia para a empresa, como também insights para melhorar processos e gaps na jornada do colaborador.

Pronto! Agora que você já sabe quais os motivos para o setor de RH da sua empresa usar o fSense, que tal fazer um teste da plataforma?

Sim! Clique aqui e use o fSense por 14 dias gratuitos. Assim você verá na prática as funcionalidades da ferramenta e temos certeza que irá implantá-la na sua empresa após esse período!

Para mais dicas como essas, clique aqui e siga a gente no LinkedIn!

blank

5 motivos para sua empresa ainda apostar no trabalho remoto

O trabalho remoto veio para ficar. E, mesmo com a liberação de algumas medidas da pandemia, algumas empresas ainda vão manter esse trabalho pelos benefícios que ele oferece. Tanto para os colaboradores, quanto para a empresa.

De acordo com dados do  UOL, 76,5% dos profissionais passaram a considerar o home office um novo modo de trabalho. Desses, 63,8% gostariam de trabalhar mais dias da semana em casa e apenas 16,7% querem voltar para o escritório. 

Outro ponto levantado pelo estudo é que muitos dos entrevistados consideram mudar de emprego caso não tenham mais a opção remota ou híbrida.

Desse modo, separamos 5 motivos para sua empresa ainda apostar no trabalho remoto. Confira! 

1 – Redução de custos com despesas físicas

Uma das vantagens mais significativas é a redução de custos com as despesas físicas da empresa. Mesmo que seja obrigatório a empresa fornecer auxílio home office e equipamentos necessários, a economia ainda é maior. 

Ou seja, manter a equipe em home office pode ser a maneira de investir no negócio com as economias geradas nesse período. 

2 –  A produtividade no trabalho remoto aumenta

Outra vantagem do home office, foi o impulso da produtividade das equipes. Pois, o tempo que era gasto em deslocamento ao trabalho e atrasos no almoço, por exemplo, não acontecem com tanta frequência no estilo remoto.

Assim, a produtividade dos colaboradores deu um salto. Além disso, várias empresas começaram a usar softwares de monitoramentos de colaboradores, como o fSense para ajudar a manter essa produtividade.

Desse modo, continuar apostando nesse modelo de trabalho é continuar tendo uma equipe produtiva. E, usando o fSense, por exemplo, tendo acesso a dados estratégicos individuais e coletivos para dar um apoio a equipe.  

3 – Sem barreiras físicas para as contratações

Como as barreiras físicas são nulas no trabalho remoto, a possibilidade de contratar talentos de outras localidades se tornou uma realidade. 

Desse modo, essa é uma oportunidade para os profissionais contribuírem com projetos grandes, mesmo que estejam do outro lado do mundo. E,  acima de tudo, equipes que são compostas por profissionais de diversas áreas e localidades motivam cada vez mais o trabalho. 

Assim, a empresa sempre sai ganhando, pois além de ter uma equipe diversa, outros talentos podem ser conquistados.  

4 – Qualidade de vida dos colaboradores no trabalho remoto é bem melhor

Antes mesmo da pandemia, muitos profissionais já trabalhavam de forma remota e viam valor nesse modelo de trabalho. Agora, praticamente todos os trabalhadores já tiveram acesso a esse modelo e perceberam que a qualidade de vida é bem melhor quando se trabalha em casa. 

Desse modo, o home office oferece para os colaboradores:

  • Equilibrar a vida pessoal e profissional
  • Passar mais tempo com a família
  • Qualidade do sono
  • Economizar dinheiro
  • Não perder tempo em deslocamentos

Ou seja, a qualidade de vida aumenta e a produtividade também. 

5 – Comodidade

Quando se trabalha em casa, a comodidade é a palavra chave. Pois você não precisa sair para ir ao escritório, pode acordar um pouco mais tarde, não precisa usar o transporte público, pode almoçar em casa e outros benefícios.

Ou seja, tudo é mais cômodo e até mesmo mais fácil de resolver. Por isso, manter o home office, pode ser uma forma de deixar seus colaboradores mais felizes e motivados.

Pronto! Agora que você sabe os motivos para ainda manter o home office na sua empresa, que tal saber a importância das pausas no trabalho para a produtividade da equipe? Clique aqui e confira!

blank

7 problemas que podem acontecer se a empresa não investir em treinamentos para a equipe

Uma forma de potencializar as habilidades da sua equipe e capacitá-la é oferecer treinamentos. Seja focados nas deficiências ou na evolução dos padrões de qualidade dos serviços já prestados.

Dessa forma, quando a empresa não investe em treinamentos para a equipe, afeta a motivação do colaborador.  Também não dá margem para crescimento na empresa e pode diminuir o desempenho da empresa como um todo.

Pois, o mercado muda a todo o tempo, a forma de consumo das pessoas também. Então não investir em treinamentos pode gerar uma ideia de que a sua empresa é obsoleta diante o mercado.

Assim, para te mostrar o quão é importante investir em treinamento e que sua empresa deve sempre estar em constante evolução, separamos 7 problemas que podem acontecer se você não investir neles.

Confira!

1 – O colaboradores ficam insatisfeitos e desmotivados

A falta de treinamento para a equipe pode tornar os colaboradores insatisfeitos por não estarem alinhados com as estratégias da empresa.

Ou seja, quando eles recebem um feedback de que precisam melhorar em algo, é dever da empresa ajudá-los e não apenas julgá-los. Até mesmo quando o assunto é conhecimento, quem deve prover esse conhecimento especializado é a empresa e não o colaborador.

É claro, que a força de vontade deve vir da equipe, mas a empresa deve oferecer formas de capacitar ainda mais seus colaboradores. Desse modo, sua equipe pode se sentir isolada em suas atividades rotineiras e isso pode gerar um efeito negativo no índice de satisfação.

2 – Aumento do turnover

Quando um colaborador está insatisfeito, nada o segura na empresa. Ou seja, consequentemente ele irá procurar outro emprego ao qual ele se sinta parte do negócio e que invista na carreira dele.

Desse modo, o índice de turnover da sua empresa aumenta e essa alta rotatividade pode comprometer a reputação diante o mercado.  

3 – Sem treinamentos, a produtividade cai

Imagine essa situação: sua empresa trabalha com atendimento ao cliente, já ficou claro que o cliente não gosta de ligações e prefere contato pelas redes sociais.

Desse modo, você não contrata uma plataforma para fazer esse novo tipo de atendimento. E, isso faz com que os colaboradores se sintam insatisfeitos e não conseguem bater as metas do mês por falta de adaptação ao mercado.

Ou você contrata uma plataforma, mas não dá um treinamento para sua equipe e eles se sentem incapazes e mesmo assim não batem as metas.

Nas 2 situações a baixa da produtividade é visível, por isso o treinamento para a equipe e para os gestores são essenciais. 

Ambos devem andar de acordo com o mercado para fazer um bom trabalho e serem produtivos. Pois a baixa produtividade é sinônimo de baixa no faturamento também!

4 – Aumento nas despesas

Investir hoje pode ser a economia de amanhã. Essa premissa acontece com os treinamentos. 

Pois, por mais que seja um pouco caro investir em treinamentos hoje para sua equipe, lá na frente será uma redução das despesas. Porque quando um colaborador é bem treinado, ele entende a importância dos métodos do trabalho, reduzindo os prejuízos desnecessários.

Ou seja, com o treinamento certo, ele pode ajudar a reduzir custos da operação.

5 – Sem treinamentos, falta de segurança no trabalho

Alguns treinamentos, como o de ergonomia, por exemplo, são obrigatórios. Pois, mesmo que eles não tenham a ver com o cargo do colaborador em si, ele promove bem-estar no trabalho. 

Desse modo, o setor de RH deve ficar de olho em como proporcionar uma melhor qualidade de vida para os colaboradores e agendar treinamentos. 

Pois, a falta desses treinamentos podem provocar acidentes e comprometer a segurança do colaborador e da sua empresa.

6 – Perda de clientes e o não alcance das metas

Uma equipe desmotivada e mal treinada pode prestar um atendimento de pouca qualidade para os clientes. E, isso pode acarretar na perda deles.

Entretanto, as consequências não são apenas para sua empresa, mas também para a equipe que não conquistará a meta do mês.

Desse modo, promover treinamentos é uma forma de organizar e oferecer o melhor atendimento para assim, fidelizar seus clientes. 

7 – Perda de inovação e estagnação da sua empresa

Inovação é uma palavra de ação que sempre deve fazer parte do vocabulário da sua empresa.

Pois, a falta da inovação pode gerar estagnação e isso não é bom. Mas como promover a inovação? Não é apenas contratando ferramentas, mas também oferecendo treinamentos para seus colaboradores saberem usá-las e tirar o melhor proveito disso. 

Assim, não investir em treinamentos pode fazer com que os profissionais não evoluam e consequentemente provoque a estagnação da empresa.

Bom, agora que você sabe que não investir em treinamentos pode ser prejudicial para sua empresa, coloque essas dicas em prática e ofereça o melhor para sua equipe.

Gostou das dicas? Conecte-se com a gente no LinkedIn.

blank

Quais as vantagens de usar a tecnologia para medir a produtividade da equipe?

A tecnologia oferece um mundo de possibilidades para as empresas. Seja no avanço, otimização ou automação dos processos. Ou seja, ela proporciona muitos benefícios para a gestão, como a possibilidade de medir e aumentar a produtividade das equipes.

Desafio enfrentado por várias empresas, a produtividade é essencial para o trabalho coletivo, individual e para bater as metas no final do mês. Por isso, investir em tecnologias para medir a produtividade e conseguir um aumento, é uma escolha certeira.

Pois, quando utilizada de maneira adequada, a tecnologia tem o poder de aumentar a qualidade da produção, a comunicação da equipe e simplificar os processos da empresa. 

Desse modo, não há apenas um ganho de produtividade, mas também de qualidade dos serviços, motivação dos trabalhadores e melhorias na gestão.

Quer saber quais as vantagens de usar a tecnologia para medir a produtividade da equipe? Continue lendo e confira!

1- A tecnologia possibilita a acessibilidade

Contar com a ajuda de um software de monitoramento de estações de trabalho e gestão das demandas, facilita o acesso a dados relevantes para o gestor.

Ou seja, com esses dados, o gestor consegue visualizar o coletivo e o individual e pode garantir mais autonomia e agilidade para os colaboradores. Pois é possível encontrar informações de qualquer lugar e a qualquer momento. 

Com isso, a produtividade tende a aumentar e os colaboradores se sentem mais motivados.

2 – Melhor gerenciamento de processos

Mapear as atividades das equipes fornece uma visão mais ampla da organização e das demandas. 

Entretanto, para fazer isso, os gestores devem deixar de lado as planilhas e adotarem a utilização de softwares que monitoram os computadores e ainda oferecem insights estratégicos em um dashboard de fácil leitura e entendimento.  

Assim, é mais fácil detectar os gargalos de produção, prevenir erros e encontrar uma solução mais rápida.

3 – Automação

Outro benefício de utilizar a tecnologia para medir a produtividade das equipes é automatizar os processos. 

Pois, com a automatização, processos repetitivos são deixados de lado e a equipe passa a ter um papel mais estratégico. Ou seja, isso não quer dizer que os papéis desempenhados pelos colaboradores não são mais necessários. 

Pelo contrário, significa gerenciar melhor o tempo e as skills de cada um, para que eles produzam ainda mais e melhor.

4 – Melhora a comunicação entre as equipes

Contar com a tecnologia permite que a equipe fique mais conectada, pois ao invés de acessar chats e redes sociais no horário de trabalho, existem softwares onde as pessoas podem conversar entre si, sem precisar sair do sistema.

Desse modo, a atenção não é desviada e as equipes podem resolver dúvidas ou problemas mais rapidamente. 

5 – A tecnologia possibilita maior segurança da informação

Sem a ajuda da tecnologia, as empresas correm o risco de perder informações relevantes e sensíveis se ela não mantiver uma organização rigorosa de segurança da informação.

Por isso, é importante contar com um software de monitoramento de computadores e regras de compliance claras na sua empresa. 

Pois, assim, é possível manter as informações mais seguras e os gestores sabem exatamente o que cada colaborador está fazendo.

Outra dica é contratar uma empresa de TI para garantir a segurança das informações da sua empresa e protegê-la de ataques ou fraudes cibernéticas.  

6 – Controle de Jornada

Realizar o controle da jornada de trabalho é um dos desafios do RH, pois deve-se contar com um sistema de ponto muito eficiente. Mas mesmo assim, as horas extras sempre aparecem e o tempo ocioso também.

Desse modo, manter esse controle sob a jornada de trabalho do colaborador, é uma forma de facilitar a gestão de pessoas e pode livrar a sua empresa de problemas trabalhistas, além de garantir a redução de custos. 

Assim, com a ajuda da tecnologia e de softwares, como o fSense é possível monitorar a entrada e saída do colaborador, gerando menos horas extras e também analisar a produtividade e motivação da equipe.

Desse modo, você garante, não só uma economia para a empresa, como também insights para melhorar processos e gaps na jornada do colaborador.

Conheça o fSense

O fSense é um sistema de monitoramento de computadores em nuvem que coleta informações sobre as atividades dos usuários em suas estações de trabalho em tempo real. 

A partir da instalação do agente desktop do fSense, os dados sobre o comportamento de cada um de seus colaboradores são centralizados em um dashboard único. 

Assim, o recurso facilita que o gestor analise os sites acessados, aplicativos mais utilizados aumentando a produtividade dos colaboradores, o compliance da empresa e auxiliando na analise de vazamento de dados.

Que tal utilizar o fSense na sua empresa por 14 dias gratuitos? É só clicar aqui, fazer sua conta e aproveitar essa oportunidade de conferir o valor dessa tecnologia na produtividade da sua equipe!

Siga a gente no LinkedIn e fique por dentro das novidades!

blank

5 benefícios de criar um programa de reconhecimento de colaboradores

Sua empresa conta com um programa de reconhecimento para colaboradores? Entenda os benefícios desse incentivo para as organizações.  

Criar um programa de reconhecimento de colaboradores é uma estratégia que traz resultados para as empresas e colaboradores. O programa de reconhecimento é uma política desenvolvida pelas organizações a partir de critérios estabelecidos conforme a cultura organizacional e metas da empresa. 

O objetivo principal da ação é reconhecer e valorizar os colaboradores e equipes no ambiente de trabalho. Em geral, o reconhecimento resulta em recompensas, bônus, participação nos lucros e promoções. Mas vale destacar que com uma nova geração entrando no mercado de trabalho, elas já entenderam que nem sempre o dinheiro é o principal fator de motivação. Por isso, as empresas precisam se adaptar a essas novas necessidades nos programas de reconhecimento.

Os benefícios de implementar um programa de reconhecimento de colaboradores 

Para surtir efeito, o programa deve ter uma periodicidade certa, como um projeto anual e as etapas para o atingimento devem ser claras. Assim, os colaboradores conseguem reconhecer as etapas e se dedicar a cada uma delas. Confira os principais benefícios. 

1 – Melhora no clima organizacional

De nada adianta os c-levels e gestores estarem motivados e com boas expectativas para a empresa, se os colaboradores estão desmotivados e sem objetivo. Por isso, um dos benefícios do programa de reconhecimento é a melhora do clima organizacional da empresa. Nesse caso, possuir metas de reconhecimento para as equipes é fundamental, pois os times se unem mais e engajam de maneira conjunta nas metas gerais da organização. 

2 – Maior motivação dos colaboradores 

Você sabia que 58% dos funcionários acham que reconhecimento é a melhor maneira de aumentar o engajamento? Em um mercado de trabalho cada vez mais competitivo, o engajamento e motivação do colaborador com a sua empresa é crucial para sua permanência e atingimento dos resultados. 

Assim, o programa de reconhecimento traz mais motivação aos funcionários. Ou seja, a relação ganha um impulso e o time tem motivos claros para atingir os resultados, que é o reconhecimento estipulado no programa. 

3 – Um programa de reconhecimento aumenta a produtividade 

Em uma pesquisa, 69% dos empregados disseram que trabalhariam mais se sentissem que seus esforços estão sendo apreciados. Assim, além de criar o programa de reconhecimento, é preciso que o líder comunique constantemente aos colaboradores sobre esse desenvolvimento. 

Em um mundo cada vez mais acelerado, realizar feedbacks mensais ou trimestrais pode não ser suficiente para manter os liderados ciente de seus avanços e necessidades de desenvolvimento. 

4 – Melhora no atendimento aos clientes 

Com os liderados motivados e animados, toda a dinâmica da empresa muda. Assim, além de impactar positivamente na cultura organizacional da empresa, todo resto melhora, inclusive, o atendimento aos clientes. 

Quando o colaborador sabe que está sendo valorizado e se sente importante para a organização, ele naturalmente passa a vestir a camisa da empresa. Ou seja, todas as interações e processos que ele participa seja com clientes seja para outros stakeholders acontecem com verdade. Por isso, os resultados melhoram de forma exponencial. 

5 – Aumenta a retenção de talentos 

O time de RH sabe que o custo de atrair novos talentos pode ser alto. Além disso, há casos em que o processo pode acabar não dando certo e o escolhido não ter o fit cultural da empresa. Embora seja um profissional capacitado para aquela vaga. Assim, investir em um programa de reconhecimento também é uma forma de aumentar a retenção dos talentos. 

Dessa forma, a organização diminui os custos com novas contratações recorrentes, além do que um colaborador antigo conhece muito mais da empresa e os produtos do que um novo funcionário. Esse tempo que é utilizado com novos colaboradores para treinamentos e alinhamentos também deve ser colocado na conta de custos com contratação.  

Portanto, o programa de reconhecimento para colaboradores traz benefícios diretos para os funcionários. Mas, a longo prazo, a empresa acaba ganhando muito mais do que o valor/custo investido.

Se você gostou desse texto e quer ler mais sobre RH, leia este conteúdo. 

blank

Employee Experience: como adotar essa estratégia na sua empresa?

O employee experience está muito ligado aos valores que a empresa pratica no dia a dia, melhorando o clima organizacional e a produtividade da equipe. 

Com as mudanças do modelo de mercado de trabalho, cada vez mais o Employee Experience (EX) tem ganhado importância nas empresas. As experiências vividas por cada colaborador dentro da organização impactam diretamente em seus resultados e, consequentemente, o sucesso da empresa. 

O ambiente organizacional ganhou um novo ritmo de mudanças, principalmente depois do início da pandemia. Nesse novo cenário, as equipes de RH precisam pensar em alternativas que vão muito além de uma boa remuneração para que a experiência do colaborador seja a melhor possível. 

O que é o employee experience? 

Antes de explicar o que é o employee experience, vale destacar o que não é essa prática. Ela não é apenas o engajamento do colaborador, uma política de trabalho flexível, um pacote de benefícios atraente ou um escritório cheio de atrativos. De fato, tudo que foi citado pode contribuir ou não para a experiência do colaborador. Mas é importante que a equipe de RH trabalhe ativamente para desenvolver essas ações. 

O Employee Experience, ou EX, significa ter o colaborador com foco central nas decisões tomadas pelos Recursos Humanos. Para muitos colaboradores, as empresas representam uma segunda casa. Seja pelo tempo que passam no ambiente corporativo e os momentos vividos com colegas de trabalho. Assim, é importante que esses indivíduos se sintam valorizados, compreendidos e que tenham ferramentas para ascenderem suas carreiras. 

Nos últimos anos, a preocupação com pessoas se tornou a tônica das empresas que desejam um futuro brilhante, com crescimento e resultados financeiros. Assim, o employee experience tem o objetivo de promover ações que visam ao crescimento e bem-estar das equipes. 

Qual a importância dessas ações? 

De acordo com a consultoria Gartner, cerca de 90% das organizações estão investindo em ações e inovações para melhorar o customer experience (CX). Ou seja, querem oferecer as melhores experiências para o seu cliente. Contudo, é fundamental que esses investimentos ocorram também do outro lado da jornada, com os colaboradores. Afinal, são eles que lidam diariamente com os clientes e são a vitrine da empresa para o mundo. 

O employee experience é um acúmulo de diversas vivências de um funcionário dentro da empresa. Todas as interações — sejam elas boas ou ruins — desde o primeiro contato entre o candidato potencial até o fim do vínculo de trabalho com a empresa fazem parte dessa experiência. Por isso, é fundamental que os gestores se preocupem com a gestão de pessoas, reforçando também o Employer Branding e Employee Value Proposition da organização com o objetivo de criar uma gestão realmente humanizada. 

Quais os benefícios do employee experience?

Quando essa prática é bem desenvolvida, o EX traz diversos benefícios tanto para empresa quanto para o colaborador, que melhora a sua qualidade de vida. Primeiramente, essas ações são determinantes para melhorar o clima organizacional. Além disso, ele fortifica a cultura da empresa, fortalecendo os principais valores e aumentando a sensação de pertencimento de cada um. Isso traz mais transparência para as relações e aumenta a geração de confiança entre os pares. 

Em consequência dessas ações, diminui-se a rotatividade e os erros e é possível aumentar o engajamento e a produtividade da equipe. Segundo a Great Place to Work, o employee experience é um componente essencial para trabalhar a reputação da empresa. Os dados mostram que existe uma correlação de mais de 92% entre o conhecimento da marca empregadora e da marca de consumo e que empresas em destaque reduzem custos de contratação em até 43%. 

Por todos esses benefícios, essa metodologia vem sendo aplicada por empresas que desejam ter sucesso e que querem se destacar em seus setores.

E você, já coloca essas ações em prática? Para conferir outros textos como esse, acesse nosso blog.